quinta-feira, 15 de julho de 2010

muito bonito. minha irmã escreveu!

Gente, tem uma reportagem antiga que minha irmã escreveu a alguns dias atrás. Digo, a algum tempo atrás. Ela faz jornalismo, e vocês vão ver que lindo que é! O exercicio era passear pela cidade de São borja e falar suas impressões sobre a cidade.

Um despertar para a São Borja que ninguém vê

No período anterior ao exercício de reconhecimento, o sentimento mais forte era o medo, que vinha até mesmo acima da imensa curiosidade que havia no momento para saber o que seria encontrado, quais as pessoas, quais os cenários, os locais que seriam conhecidos. O receio se fazia mais presente, pois as ruas oferecem perigos, que por vezes podem parecer bobos, mas eram temores que vinham acima dessa curiosidade; o primeiro sentimento foi se dissipando ao passo em que eram desvendadas muitas percepções, logo a curiosidade só viria aumentar nas horas de exercício mental, e físico, tendo em vista que a caminhada durou quase duas horas, em uma manhã de céu bonito e ensolarado, embora fizesse um pouco de frio naquele momento.

Foram inúmeras surpresas, imagens que não são habituais, visitas incomuns, um encontro com o desconhecido, que estava tão próximo de nós, um encontro que talvez nem possamos chamar de encontro, talvez uma passagem rápida, já que as histórias daqueles objetos, casas pequenas e campos não foram contadas, nem descobertas por nós, vendas que podem ser desvendadas, por que não. Como compreender a lógica de objetos sem uso aparente em pátios de casas; casas que estão tão juntas, e com aparência desguarnecida; uma residência com muitos animais, que é capaz de chamar atenção a primeira vista pela distinção de animais, que por vezes podem gerar certa desconfiança, ou temor por seu barulho e sua proximidade. Locais quase desertos, pois o único som era o dos pássaros, vacas, bois, e das pessoas que por lá caminhavam e que também tiveram uma visão diferenciada dos diversos cenários; crianças que brincam em ruas tão tranqüilas, que nem a passagem de veículos é capaz de quebrar o imenso silêncio rompido apenas pelo vento, gelado e forte que provocava o esvoaçar de cabelos e folhas de árvores, que só não se faziam mais presentes, devido ao desmatamento, que se podia sentir com o cheiro de queimadas, que irrita gargantas e mata a natureza.

Nesses caminhos até então desconhecidos, outros elementos chamaram atenção, independente de ser agradável, ou estranho aos olhos, como os locais abandonados, estudantes tão próximos de animais, o que dava um ar leve de área rural; guirlandas em épocas tão distantes do usual. Ruas tão difíceis de andar, com a presença de muitos desníveis, , que ocasionalmente eram sentidos durante a caminhada, além de um cemitério bem antigo próximo de algumas casas, um lugar totalmente desagradável de estar ,pois quem não lembra com imensa saudade, ou aperto no peito de alguém querido que não está mais aqui.

Um exercício que exigiu mais das percepções, dos sentidos, que apesar de parecer algo simples, mexeu com sentimentos guardados, e não manifestados, bloqueados, para quem sabe um novo exercício. Dessa forma, enxergar o que a primeira vista não se vê, deveria ser um dever à todos, para que não fiquemos insensíveis as surpresas, as sensações e aos sentimentos bons, ou ruins, importantes também ao repórter.


Cristiely Lopes Carvalho

Um comentário:

  1. Isso me lembra da minha infânsia.
    Ja era grandinha, tinha meus 7 anos.
    e eu me senti livre pela 1ª vez na vida.
    não é símplis andar em uma cidade como são paulo.
    Mais eu me senti emocionada por sentir o vento que bagunsava meu cabelo, o som dos carros que chamavam a minha atenção, e o manusear daquela bengala tão pequena e leve, que me trazia a sensação de menina independente.
    lendo o que a tua irmã escreveu, eu vejo como uma símplis caminhada pode ser significativa,
    ainda mais pra quem não está muito acostumado a observar, a se maravilhar com pequenas descobertas,
    que tem grandes significados.
    parabéns pra cris pela reportagen, e parabéns pra taís por ter postado, e ter compartilhado tamanha esperiência com todos, principalmente comigo.
    valeu gente!!!!!

    ResponderExcluir

comentem a vontade. estou aberta a sujestões e criticas. abraços!