segunda-feira, 5 de junho de 2017

VOLTEI PRA MIM

Oi, pessoal, tudo bem?
Hoje o post é analítico, não mau humorado, como os últimos. Parte do princípio de que voltei pra mim mesma. Vou me explicar.
Há um tempo atrás, fiz um post falando que quem não curte uns momentos de ócio é porque está fugindo de si mesmo, de sua essência, de se curtir e curtir aos demais que estão à sua volta. Pois bem, aquilo que eu mesma condenava, eu estava fazendo, ou seja, inventava mil coisas pra fazer, pra preencher meu tempo e me cansar, até ficar com um sono incontrolável, cair na cama e simplesmente desmaiar. Aliás, ou eu tinha uma insônia sem fim ou eu apagava de tal forma que, se o mundo acabasse, eu só me daria conta quando estivesse mortinha da silva.
Sempre me inspirei na minha mãe e irmã, mentes inquietas que sempre estão fazendo algo, aprendendo coisas novas. Só que ao fazer isso, eu fazia tudo, mas não me aprofundava em nada, não fazia nada direito.
Além disso, minha natureza não é a daquelas pessoas hiperativas, que conseguem fazer de tudo um pouco, e tudo muito bem feito; tenho sim uma mente curiosa, e busco sempre aprender coisas novas, mas sabe aquela história de "eu tenho que estar inspirada pra fazer isso"? É como eu sou. Preciso estar a fim de fazer algo, sem rotina, sem obrigação, quando me der vontade. Sou muito inconstante, e aquilo que quero hoje, se tornar-se rotina, não é mais o que eu quero.
Se isso é bom ou ruim?Não sei, só sei que é essa minha natureza e cansei de fugir de mim mesma, da minha inconstância, de minha vontade de, as vezes, ver um filme idiota na TV ou visitar alguém, ou dormir, por que não?
Não sou a pessoa mais inteligente ou aplicada da familia, muito menos a mais adulta e madura, mas sou eu, a inconstante, meio imatura e até carente. E não vou mudar pra agradar a ninguém, como antes eu fazia. Não que alguém me cobrasse, eu é que me cobrava demais.
Mas agora, vou ser feliz sendo quem eu sou: a pessoa que é inconstante, que vai morar o resto da vida em Itaqui, graças a Deus, a preguiçosa e a imatura carente.
Tá, tenho qualidades também, mas não vou ficar aqui dando uma de narcisista e dizendo que sou isso ou aquilo. Mas quer saber, gosto de ser eu mesma, com todas as minhas qualidades e defeitos, pois meus defeitos é que me diferenciam das demais pessoas desse planetinha em crise.

Bjs e boa semana.

Um comentário:

  1. Tem coisa melhor do que fazer o que gosta? Saber o que quer, o que te faz bem, pronto esse é ponto de partida.

    ResponderExcluir

comentem a vontade. estou aberta a sujestões e criticas. abraços!