quarta-feira, 17 de maio de 2017

MINHAS LENTES COR-DE-ROSA

Olá, pessoal, tudo bem?
Bem, o título é um pouco infantil, mas tem uma explicação pra ele. Hoje é uma postagem meio melancólica, mas é um apanhado do que to sentindo.
Costumava ver as pessoas sempre com uma lente cor-de-rosa; a final, pra mim, todos tinham, a princípio, um lado bom predominante, bastava a a gente saber extrair esse lado legal. Claro que eu sei que o mundo não é lindo, nem pensava que tudo é perfeito, e sabia que nem todas as pessoas são felizes, mas preferia ver o lado feliz e generoso delas.
No entanto, ultimamente, minhas lentes cor-de-rosa ficaram preto-e-branco. Não costumo mais conseguir enxergar a bondade natural do mundo, nem tenho mais vontade de tentar extrair esse lado. Aliás, minhas lentes tão mais pra pretas do que brancas.
Será que as pessoas é que mudaram ou fui eu que saí do meu fantástico mundo de bob. Tem uma passagem do evangélio segundo o espiritismo que diz que as pessoas são nosso espelho, e tudo que nos incomoda nelas, é nosso próprio reflexo, nosso próprio defeito. Talvez o meu lado negro esteja mais evidente pra mim.
Quero voltar a ver a vida com a cor da Barbie, quero deixar minhas lentes preto e brancas pra um lado. Mas depois dos 30, acho que isso não é mais possível. O jeito é tentar dar um colorido maior a vida, que não será mais rosa, mas pelo menos, podemos misturar uma corzinha no seu preto e branco natural e enjoativo.
Prazer, Taís, chegou a maturidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentem a vontade. estou aberta a sujestões e criticas. abraços!