quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Orgulho de ser gaúcho, será?

Olá, pessoal. Tudo joia? Hoje vim falar de algo que antes eu tinha, mas diante dos acontecimentos, está abalado: o meu orgulho de ser gaucha.
Percebi, com os ultimos acontecimentos, que o gaúcho se assemelha sim ao europeu, como tanto gosta de pregar, até nas piores coisas, como o racismo, por exemplo. E não falo apenas do caso isolado da torcida gremista, mas por tudo que vejo. Em muitas regiões do estado, ser negro é como ter o atestado pra ser humilhado. A intolerância com a raça que ajudou a construir o país é uma coisa muito triste.
E o preconceito não está apenas nas ofenças diretas, mas está nas piadinhas sem graça, nos olhares desconfiados para um negro, entre mil outras coisas.
E o  recente caso de intolerância com homossexuais foi a gota d'água para abalar meu orgulho gauchesco. Em primeiro lugar, por que os gays não podem usufruir de um centro de tradições gaúchas, como qualquer outra pessoa? A  final de contas, é pessoa igual a qualquer outra, que tem  os mesmos gostos e anseios que todos nós.
Mas sem entrar nesse mérito, pois até entendo que alguém não aceite a homossexualidade, por questão de conflito de gerações, de costumes arraigados. E seria até preconceito obrigar alguém a aceitar algo com a qual não está acostumado. Mas diferente de aceitar é tolerar.
Por que tinha que colocar fogo no CTG, que diga-se de passagem, nem faz mais parte do movimento de tradições gaúchas a 8 anos? O que quer se provar com isso? Que macho que é macho não aceita essas coisas? O que muda na vida dessa pessoa fazer um casamento gay no ctg, no bar da esquina, ou em qualquer outro lugar? Não, nada disso, é apenas pra mostrar que gaúcho que é gaúcho combate essa gente, como diria um certo candidato a deputado gaúcho.

Diante disso e com a proximidade da semana farroupilha, não festejarei mais o evento com o mesmo orgulho e amor de antes, pois na minha opinião, o gaúcho se tornou o povo mais egocentrista, intolerante e irracional que há no país. E é com muita tristeza que constato isso. Espero que a nova geração de gauchinhos seja bem melhor do que essa. Oremos!

Um comentário:

  1. oi tais. infelizmente não é só no rio grande do sul que o preconceito está instalado. isso se espalha por todo o nosso brasil, e as pessoas de origen caucasianas, se sentem no direito de julgarem aquelas de origen africana, somente pela pigmemtação da pele. como se isso ditace o caráter, como se isso fosse contar no fim da vida. pois todos nascemos e morremos da mesma forma. ontem passou sobre isso no conecção reporter, (no sbt), e foi um programa muito interessante. o nosso país ainda tem muito o que evoluir nesses preconceitos enrraisados. beijos.

    ResponderExcluir

comentem a vontade. estou aberta a sujestões e criticas. abraços!