quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Renuncia do papa

Olá, pessoal. tudo joia? Como eu havia dito ontem hoje vou falar sobre um assunto que hoje será inevitável: a renuncia do papa Bento XVI. Hoje, a partir das 16 horas, horário de Brasilia, 20 horas horário de Roma, ocorre a renúncia do papa Bento XVI. Em 6 céculos, é o primeiro papa que renuncia por vontade própria. Foi um grande choque para o mundo católico, mas não só para eles como para todos nós. E o que me intriga é: por que uma coisa q aconteceu em uma religião em específico, atinge tanto a todos nós? A resposta poderia ser porque a maior parte do planeta é católico, apesar de muitos católicos terem migrado para outras religiões; mas a minha resposta pessoal é: porque para nós, espíritas, isso é um sinal da nova hera. Vou explicar porque. O maior sinal dos novos tempos foi o terrivel insêndio em Santa Maria. Desde esse dia, aqui no RS pelo menos, muita gente começou a mudar seus conceitos. As pessoas se tornaram mais solidárias, mais próximas, mais afetivas. Depois disso, muitas outras coisas que nos mostram a importância de sermos mais humanos vem vindo à tona. E agora, a renúncia do papa. Segundo pessoas que leram as previsões de Nostradamus, a renúncia de um papa estava entre as previsões que indicam a mudança dos tempos, e um dos principais candidatos a ser o novo papa é um negro. Em um mundo onde o preconceito está cada vez mais fora de moda, seria maravilhoso. Ou quem sabe será um latino? Ficamos na expectativa. Não vou falar aqui sobre os motivos que levaram o papa a renunciar porque não quero briga com ninguém. Só fiquei mesmo intrigada por todos nós estarmos, de certa forma, tão mobilizados com esse assunto. Beijos a todos.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Mmeu inicio de ano

Olá, pessoal. Tudo joia? Hoje vim fazer um resuminho sobre meu inicio de ano, que não tá ruim não. Bem, algumas coisas que disseram que aconteceria em 2012 aconteceram a nível mundial, como por exemplo, um problema de comunicações em geral. Os telefones e a internet tá uma coisa, pelo menos na minha cidade. E agora, a crise elétrica, que também estava prevista no calendário maia. Coincidência ou não? Vou deixar por conta de cada um. Meu ano começou comigo superanimada, como nunca estive. Finalmente consegui me conformar com o meu amor não-correspondido. Digo me conformar porque por ele não ter sido correspondido, acho que nunca esquecerei. Vai sempre ser aquela coisa de pensar como teria sido se desse certo. Eu já me conscientizei d que isso não é amor, é curiosidade. e é tão bom quando a gente se livra de algo que não nos faz bem... Estou também mais próxima dos meus amigos. No fim de ano fiz uma coisa que quase nunca fazia, por vergonha, por medo de encomodar... liguei p uma amiga que precisava de um carinho para dar feliz ano novo. E quer saber, vou aprender a me dar mais sem esperar nada em troca, coisa que nunca soube por egoismo, por esperar sempre que as pessoas que me procurassem, gostassem de mim gratuitamente. Mesmo que eu não seja correspondida na minha amizade, o que acho dificil porque amor gera amor, vou ser mais humana, como nunca fui. Pelos meus prognósticos, 2013 vai ser bem legal pra mim em todas as áreas, e já estou cheia de planos que vou lutar pra dar certo, e vai dar, se Deus e meu guia quiserem. Desejo a vocês a mesma alegria que o ano está me trazendo.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Saudosismo

Olá, povo. tudo joia? Para vossas tristezas, voltarei a falar de algo que tem a ver mais com meus sentimentos do que com qualquer coisa séria. Beijos pra quem se vai; e pra quem fica, lá vai. Esses dias estava vendo uma certa propaganda na tv, melhor dizendo, ouvindo, quando o locutor falou em banho de mangueira. De repente, me veio uma saudade imeeeensa do meus banhos de mangueira da infância, e junto com eles saudades de muita coisa mais. Saudade de quando eu dava banhos nas minhas bonecas com agua e sabão... Aliás, eu enchia a banheirinha de espuma e sujava a calçada inteira. Saudades de quando eu brigava com a minha irmã e nos batíamos tanto que ficavamos todas marcadas. Saudades de quando eu brincava com minha irmã e duas primas e acabava sempre em briga. eu e uma prima p um lado e a mana e outra prima para o outro. Saudades de quando eramos adolescentes e o máximo que aprontávamos era ficar tipo de 3 a 4 horas no telefone conversando com os radialistas. E conversávamos sobre tuuuuuuuuudo! A mãe nunca icou sabendo, quer dizer, até agora. Mãe, se estiver lendo, releva, foi o máximo que aprontamos em toda a vida. rsrsrs. Saudades de quando eu estudava... Caraca, nunca pensei que ia dizer isso... Mas não saudade da matemática, e sim da escola, dos colegas que nunca mais vi. E por último, saudade, muita saudade de quando eu acordava as 10 da manhã e achava que era muito cedo, quase madrugada. Como eu adorava... E só depois que tudo passa é que a gente percebe o quanto pequenissimas coisas faziam tanta falta em nossa vida. Mas me alegro, porque sentir saudade é sinal de que tive bons tempos, de que esqueci de tudo de ruim e só lembro das coisas boas. Como é bom saber que consigo ainda guardar o melhor de mim e mandar o lado mau mar a baixo...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

APOSENTADORIA ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIENCIA.

Olá, pessoal, como vão? Esses dias me deparei com um abaixo assinado para a regulamentação da aposentadoria especial para pessoas com deficiencia, que já existe, mas não há uma lei complementar tornando isso oficial. Por isso, resolvi opinar sobre o assunto. A constituição federal diz que devemos tratar com igualdade os iguais e com desigualdade os desiguais para compençar suas diferenças. Ou seja, devemos tratar todos de forma igual, nem que para isso, tenhamos que privilegias os mais vulneráveis socialmente, como negros, pobres ou deficientes. Entre essaf formas de igualar os desiguais foi criada a aposentadoria especial para pessoas com deficiência, para compensar as barreiras sociais que esses enfrentam para arranjar emprego ou comnvier na sociedade. De acordo com essa lei o deficiente teria direito a menor tempo de contribuição para poderem se aposentar. Esse tempo seria de no m-aximo 25 anos para as deficiencias leves e de no mínimo 20 anos para as deficiencias mais graves. Eu como pessoa com deficiencia física, motora e visual, essa a mais severa, discordo em parte desse lei. Eu penso que é uma forma de segregar a PCD, aumentando a sensação de incapacidade diante dos demais. Além disso, é uma contradição nós deficientes nos utilizarmos desse benefícoo depois de toda a nossa luta para entrar no mercado de trabalho através da lei de cotas. Concordo que para algumas pessoas, essa aposentadoria se faz necessária, pois algumas deficiencias são progressivas e comoo tempo, acaba as incapacitando para o trabalho. Por isso, defendo então que seja limitada a essas pessoas a aposentadoria especial. Assim como outros beneficios. Eu sei que muita gente vai discordar de mim, que posso até receber umas pequenas retalhações por causa disso, mas sem problemas, minha voz e opinião sempre destoou da cominidade deficiencia. Mas me senti na obrigação de opinar. Pensem sobre o assunto e opinem também.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Divagações

Olá, pessoas bonitas. tudo joia? Hoje não vim falar nada de importante, só contar um pouco sobre mim, meus dias, minha semana. se espera algo importante e sério, então boa viagem e desconecta q não há nada dessa vez. hehehe. Para quem continua lendo, aí vai: passei um carnaval maravilhoso. Fui aos desfiles das escolas de samba daqui, sambei, ou melhor, me sacudi um monte. Claro q na manhã de cada dia acordava com uma dor na coluna e uma preguiça mórbida, q só conseguia dormir, mas valeu à pena, me diverti pra caramba, talvez mais do que das outras inúmeras vezes. Voltei ao trabalho ontem ainda com vestigios do carnaval, cheia de dores, mas fiquei feliz porque minha escola ganhou. só não comemorei mais porque meu corpo simplesmente não me permitiu de jeito nenhum. Comecei ontem a ler o livro 50 tons de cinza. uma colega havia me indicado ha tempos e eu não tomava coragem pra ler, mas agora, agora simplesmente parar é um sacrificio enoooooorme. ainda não cheguei na parte apimentada do livro, quando chegar eu conto pra vcs. Na sexta-feira vou viajar, mas sei lá, só de falar nessa viagem tá me dando uma coisa tão estranha... pode ser por causa da minha ansiedade, agorafobia, mas nunca me senti quase triste com uma viagem como estou me sentindo agora. Vou à Cachoeira do Sul, num médium espírita q tem lá,. fiz uma cirurgia d coluna com ele, cirurgia espiritual, e fiquei maravilhosamente boa. só por isso deveria ficar feliz, mas... sei lá. Era isso que eu tinha pra contar essa semana. para quem continuou lendo, muito obrigada e bjinhos a todos!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Carnaval na visão espírita

Olá, pessoal. tudo joia? Hoje eu vim falar sobre um tema que essa semana será muito recorrente, já que é a maior festa popular brasileira: o carnaval. Mas vim falar desse tema numa visão religiosa, na visão espírita. Segundo a doutrina espirita o carnaval é a época onde os espíritos zombeteiros e inferiores mais circulam por entre os encarnados. Isso ocorre pela falta de seguirmos aquela máxima "orai e vigiai". Nos preocupamos unicamente em nos divertirmos sem pensar nas consequencias de nossos atos no futuro, já que para nós, no carnaval se pode enlouqueser, ser o que não se é, beber e se drogar à vontade. Ficamos com o pensamento: "é só esses 4 dias para estravazar...". E é aí que nos perdemos completamente. Os tambores, a música, tudo contribui para a aproximação desses espíritos malfazejos. Isso ocorre historicamente, já que o carnaval começou como uma festa para agradar Dionisio, o Deus do vinho ou Baco, Deus semelhante ao primeiro. Por isso, antigamente essa festa chamava-se bacanalia. Depois os europeus incrementaram a festa, fazendo baile de máscaras, até chegar ao carnaval como conhecemos hoje. Segundo o livro Transição Planetária de Divaldo Franco que fala de forma bem explicativa sobre o tema, a palavra carnaval origina-se das iniciais do termo "a carne nada vale", o que nos leva a entender o porquê da promjiscuidade reinante nessa época. Recomendo a leitura desse livro. Mas pessoalmente, apesar de ser espírita, penso queo que nos desvirtua não é a festa na sua essencia, e sim as atitudes que tomamos durante ela. Podemos sim nos divertir, pular, dançar, mas se não costumamos ser promíscuos e inconsequentes fora dessa época, por que fazermos isso agora? Além disso, o espiritismo condena o afastamento da vida social, já que seria egoismo de nossa parte não contribuirmos através de nosso comportamento reto, com a sociedade, além de ser muito cômodo pra nós nos afastarmos de todas as tentações e nos julgarmos puros e amorosos. É a partir do enfrentamento das situações que podemos evoluir como pessoas e como espíritos e não nos escondendo delas. Por isso, minha opinião pessoal é: curta o carnaval, pule, dance, se divirta, mas tudo com responsabilidade e retidão de comportamento. E não nos esqueçamos nunca dos ensinamentos de Deus e Jesus Cristo, Nossos mestres e guias que se seguirmos sempre, iremos ser muito felizes e realizados.