segunda-feira, 11 de junho de 2012

as visões sobre os varios tipos de morte

Oioi pessoas. tudo joia? hoje estou aqui, sentada na minha cama, com um frio danado debaixo das cobertas. e vim falar sobre um assunto que pode significar o renascimento para a vida ou simplesmente o fim dela: a morte. A morte de um ser querido sempre faz a gente repensar na vida. repensar o quanto somos egoistas, o quanto deveriamos ter deixado nossos problemas de lado para dar um pouquinho mais de atenção para aquele ser que tanto amávamos, mas que agora não veremos mais. e do quanto estragamos a nossa vida e nos tornamos seres pequenos, inuteis diante da morte. falo isso porque passei essa semana pela morte de um ser querido que nem era tão próximo assim, mas a quem eu dedicava um carinho muito grande, como se o conhecesse muito. essa pessoa morreu porque escolheu morrer, mesmo que não conscientemente, mas pela força de um maldito vicio. aliás, o vicio do qual falo pode ser o tema de uma outra postagem. A outra morte, aquela que faz renascer para a vida, é a morte de um sentimento. Aquela pessoa de quem um dia falei do qual gostava muito? pois é, agora me curei desse sentimento que apesar de me fazer tão bem, me fazia tão mal por me sentir muito pequena, já que não era correspondida. e vocês vão dizer: mais uma vez ela diz que se curou, será? pois agora tenho certeza que sim. e por quê? Porque percebi que o que eu precisava era falar com alguém, era desabafar. e isso eu fiz com alguém que me fez sentir tão bem, tão grande, tão capaz de ser feliz. e estou me sentindo tão bonita por dentro, tão mulher, tão diferente daquela menininha desconfiada que eu sempre fui. essa pessoa com quem falei me abriu um novo orizonte, me fez vislumbrar um mundo tão colorido e me fez voltar a ser tão feliz como eu havia esquecido que podia ser. esssa foi a melhor morte que podia existir. e eu que achava que quando esse sentimento morresse, seria o pior dia da minha vida. mas foi bem o contrário: foi a melhor coisa que me aconteceu nos ultimos 2 anos! Portanto, cheguei a conclusão que a morte, seja em qualquer de seus sentidos, pode ser a melhor coisa para quem fica. serve para uma boa reflexão, para tomarmos consciencia de nossos defeitos e sanar nossos egoismos e para darmos atenção a pessoas que amamos tanto, mas não demonstramos seja pelo quê for. e pode servir também para tomarmos consciencia do nosso valor no mundo, para percebemos o quanto podemos ser nós mesmos, sem máscaras, e conseguirmos dar o melhor de nós a quem nos rodeia. Amanhã terá uma postagem sobre o surgimento do dia dos namorados, viu, apaixonados de plantão... beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentem a vontade. estou aberta a sujestões e criticas. abraços!