segunda-feira, 29 de agosto de 2011

as pessoas "normais" e o mundo da deficiencia

Oioi, galera. A postagem de hoje será sobre um assunto que ouvi ontem no programa "de frente com gabi" e que me chamou muita a atenção.
Ontem, Marilia Gabriela conversava com Fernando Fernandes, o ex BBB que ficou deficiente fisico devido a um acidente de automóvel. Até aí, tudo bem. O que me chamou a atenção foi a curiosidade dela sobre a deficiencia de fernando, de como ele enfrentava tudo isso. E me lembrei de como as pessoas também se admiram quando vêem eu, cega de nascimento, fazer certas coisas.
É compreensivel a admiração das pessoas, mas é estranho como somos tratados quase como super-homens, como mulher-maravilha. Mas a realidade é bem outra.
Creio eu que qualquer um que tenha uma deficiencia, seja ela qual for, desenvolve recursos próprios para lidar com ela. Qualquer pessoa que um dia ficar deficiente vai desenvolver formas de fazer coisas que antes eram simples e que agora elas reaprenderão a fazer. Desenvolverão uma espécie de costume com essa deficiencia.. Com o tempo, as pessoas irão percebendo que é uma reação da natureza de qualquer ser vivo se adaptar às condições que lhe são impostas.
Então, não é uma questão de ser melhor que outro, ou de ser superhumano, é uma questão de você não ter outra escolha para viver. E principalmente: é uma questão de você querer ser feliz e seguir sua vida.
Portanto, quando você for achar extraordinario algo que um deficiente faça, ou seu modo de vida, ponha-se no lugar dele e reflita. Você verá que no lugar dele, faria o mesmo, por que você precisa viver e não tem outra escolha.
Isso não é uma bronca ou coisa parecido. achei mesmo foi engraçado, e por isso resolvi postar aqui
Abraços!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

muito prazer, essa sou eu

Oioi pessoal, tudo bem?
faz tempo que não vinha por aqui. mas estava num momento meio sombrio da minha vida. quer dizer, não exatamente da minha vida em relação aos acontecimentos, porque na verdade não aconteceu nada de ruim comigo. Mas estava tentando me livrar de um sentimento por alguém que nunca me mereceu, que nunca me viu de verdade, e eu não conseguia esquecer essa pessoa. tentava ser ou parecer ser muita coisa para agradar a essa pessoa e aos outros, escondendo o que realmente eu sou.
Mas a uma semana atrás, descobri que me livrei desse sentimento, que me livrei de pensar nessa pessoa, de pensar que a odiava, sendo que na verdade eu a amava, me livrei dela. agora já não sinto mais nada por essa pessoa, exatamente nada. e só agora posso me ver como eu realmente sou. e vou dizer agora:
sou aquela menina sentimental, que mesmo que precise muito, não quer se afastar por um instante da familia; sou aquela pessoa que nunca deixa o certo pelo incerto; sou o tipo que se preocupa com seus familiares a ponto de ficar doente de tanto nervosismo. gosto de dançar, de ouvir musica, de desenhos de criança e sim, não gosto muito de falar e expressar minha opinião. sou romantica e do tipo que por amor enfrentaria o mundo. aliás, acho que só por amor eu enfrentaria o mundo, já que sou muito medrosa. mas ao mesmo tempo, sou forte, aguento tudo de mal que fazem a mim ou que acontece comigo, mas não aguento que façam mal ou que aconteça algo de mau aos meus. enfim, sou sensivel, mas não delicada, medrosa e muito menina, apesar da idade.
E se antes isso me encomodava, agora eu percebi que só serei aceita pelos outros quando eu mesma me enxergar como sou, e não parecer ser o que os outros querem que eu seja. e aprendi que antes de querer que alguém me ame, eu tenho que me amar, e dane-se quem não me quis; perdeu de conviver com uma pessoa que luta pelos seus amados e que é sim capaz de fazer alguém muito feliz. não me quis? pena pra ele, e sorte a minha!