segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

DESEJOS E PLANOS PARA 2011

Oioi pessoal. como foram de natal? bem, hoje passei para deixar aqui meus desejos e planos para 2011, já que depois estarei meio ausente da net, por conta das visitas.
Antes eu fazia uma cartinha, enchendo de pedidos, desejos, mil planos. Mas esse ano, não quero nem desejo muita coisa, já que tenho mais é o que agradecer doque o que pedir. Mas tem duas coisinhas que vou adorar se acontecerem, e vou lutar para que aconteçam.
O primeiro é um plano que vou fazer de tudo pra dar certo: quero arrumar um emprego onde for. não me importo se aqui ou fora, mas tenho que achar algo pra fazer. tenho certeza que depois disso minha vida vai mudar em todos os sentidos. no começo do ano, vou procurar na minha cidade, senão, a partir de julho, me mando pra primeira cidade onde eu tiver conhecidos que tenha chances profissionais pra mim. quero e vou voar!
A segunda coisa é um desejo, que não posso fazer nada pra se realizar: arranjar um amor. mais doque nunca, agora eu quero arranjar alguém pra dividir minhas angustias, felicidades, amar e ser amada. meu sonho foi sempre formar uma familia, ter filhos, minha casa, como toda a mulherzinha inha. hehehe;. mas sempre sufoquei esse sonho, pois tinha medo de parecer sensivel, fragil, pois é assim que todos me vêem e sempre me viram. queria passar a imagem da guria forte, insensivel, a guria que não precisa nem quer ser cuidada. mas agora, esse desejo aflorou em mim como nunca. não vou me atirar, nem sair catando por ai, vou esperar que a vida me traga esse presente.
E pra vocês, meus seguidores e leitores, desejo um ano de muita luz, harmonia, saude e paz de consciencia. o resto, o tempo sempre dá jeito de conseguir. outra coisa, sejam otimistas e esqueçam os comentarios maldosos dos outros, deixa falarem, porque o que importa mesmo, é nossa paz e tranquilidade de espirito. os outros, vão se envenenar com seu próprio veneno. feliz ano novo!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Decisão tomada

Oioi, pessoal. como estão vcs?
Bem, vim comunicar minha decisão sobre aceitar ou não o trabalho lá.
Pesei os prós e os contras, todos que já havia falado a vcs. Então, decidi ficar pelo menos até o meio do ano por aqui, para tentar arranjar algo por aqui mesmo. Nunca pensei em ir embora de minha cidade, e quero me dar mais uma chanse de ficar com minha familia. Se até julho nada conseguir, ai sim, vou sem choro nem vela.
Eu tenho consciencia de que se for meu destino eu ir pra lá,nada me fará ficar, também por isso, resolvi deixar pra ligar pra moça da empresa só mesmo na primeira semana de janeiro, como o combinado. Mas por enquanto, ainda serei itaquience. E seja o que o destino quiser!
E pelo jeito, 2011 será um ano decisivo pra mim. Adoro anos decisivos, sem aquele marasmo costumeiro... Quando tiver novidades, conto pra vcs; mas posso dizer uma coisinha: pela primeira vez, farei planos. Mas isso é objeto de uma próxima postagem. até mais!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Agora eu posso falar o q me aflige

Oioi pessoal. hoje vim contar sobre qual era o rumo inesperado que minha vida tava tomando, qual o motivo da minha indecisão.
Esses dias, recebi uma ligação de uma empresa de recursos humanos que estava fazendo meu cadastro e me oferecia vagas de emprego. Conversa vai, conversa vem, ela me disse que em Porto Alegre haviam muitas vagas em aberto, inclusive as que eu queria ocupar, e perguntou se eu me animaria a ir morar em Porto alegre, pois lá ainda abririam muitas vagas e a colocação pra pessoas com deficiencia é e vai se tornar ainda mais fácil por causa da copa. Fiquei pasma na hora, e disse que talvez não; mas ela me deu até a primeira semana de janeiro pra decidir e ligar pra ela.
Então, falei c meus pais, e a mãe me colocou duas coisas q são certas: eu deveria esperar surgir algo aqui, já que ainda não coloquei curriculum no SINE daqui, e tem ainda minha fisioterapia, que eu não posso deixar de fazer pq tenho distrofia muscular e não posso descuidar da minha saude;.e pra ajudar, ainda tenho cindrome do panico e não tenho orientação e mobilidade, porém, já tem pessoas que disseram me acolher se eu decidir ir pra lá.
E agora, amigos, o que eu faço? Me dêem uma opinião cinsera pra me dar uma luz.
Abraços!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Rodaviva: essa é minha vida

Oioi pessoal. precisava postar huje. Estou diante de uma decisão, que ainda não posso contar qual é, mas que dependendo de qual for, vai mudar os rumos da minha vida.
E isso me lembra que minha vida sempre foi pra rumos que eu nunca, mas nunca mesmo, esperava que ela ia ir Como agora, se minha decisão for pelo sim.
.
Primeiro, quando eu era criança, como aqui não tinha o método braille, achei que nunca iria estudar como as outras crianças.; Aprendi muita coisa com minha prima, que lia os cadernos dela pra mim, mas achei que ficaria só nisso. até que comecei a estudar, e pra isso, fui morar em Porto Alegre, onde já tinha ido muito para consultas médicas, mas nunca pensei em morar.
Depois do ensino médio, achei que a faculdade que poderia fazer era o majistério, já que meus pais ñ tinham condições de pagar outra e nem havia outra aqui. Eis que pra minha surpresa, me formei em ADM, uma faculdade que aliás, nem queria fazer nunquinha.
E agora, essa decisão inesperada que pode mudar minha vida... E pelo que to vendo, acho que meu destino é sempre mudar, sempre fazer o que nunca pensei, sonhei ou quis. E será que isso é bom ou ruim? só deus pode saber.
Bem, na primeira semana de 2011 venho contar pra vcs sobre qual foi minha decisão e em relação a que. abraços!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Reportagem sobre inclusão na cidade de São Borja

oioi, pessoal. hoje venho publicar a reportagem de um amigo formando em jornalismo, Eduardo Vieira da Silva, que fala sobre a inclusão das pessoas com deficiencia na cidade de São Borja. eu achei superinteressante, e re

Universidade Federal do Pampa
Campus São Borja
Curso de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo

















Eduardo Vieira da Silva



PRODUTO
GRANDE REPORTAGEM






















São Borja/RS
Novembro de 2010

Jornalismo Cívico: Educação Inclusiva em escolas municipais de São Borja.


O que busca a inclusão

“Todos temos direito a ser iguais quando a diferença nos diminui e todos temos direito a ser diferentes quando a igualdade nos descaracteriza”. A frase do sociólogo português Boaventura Sousa Santos poderia servir como síntese do que a educação inclusiva se propõe a implementar. Através desse processo de educação surgido nos anos 70 nos Estados Unidos, alunos portadores de necessidades educacionais especiais (NEE) têm o direito de freqüentar a escola regular, tendo a possibilidade de conviver com os colegas que não possuem deficiência. As barreiras concretas e abstratas devem ser removidas e a diversidade enaltecida. Falar sobre inclusão é falar sobre direitos humanos.
A expressão “educação inclusiva” ao invés de “escola inclusiva” não é por acaso. Para os teóricos desse movimento, o termo escola centralizaria o dever da inclusão na instituição de ensino, ao passo que a palavra educação compreende toda a comunidade escolar: escola, pais, poder público em geral. O fim último da inclusão não é apenas promover a educação para todos, e sim construir, através da inclusão social, uma sociedade para todos.

Legislação inclusiva

Em 1994 os países que compõe a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco, na sigla em inglês) assinaram a Declaração de Salamanca na Espanha, em que se comprometiam a incluir os alunos na escola regular.
O Brasil, além de signatário do documento da Unesco, determina os direitos dos alunos com NEE desde a Constituição de 1988, seguida do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) de 1990 e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Já em 1999 são criados a Política Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência e o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência, o Conar. Em 2000 as escolas iniciam o processo para incluir os alunos com NEE. Após a Convenção da Guatemala, em 2001, é assinado pelo governo brasileiro decreto que determina que os alunos especiais devem ter o mesmo acesso ao ensino fundamental que os demais.
Em 2003, a Secretaria de Educação Especial do Ministério da Educação (MEC) criou o Programa Educação Inclusiva: Direito à Diversidade. De acordo com o site do MEC, o programa “forma gestores e educadores para o desenvolvimento de sistemas educacionais inclusivos”.


Como anda a inclusão em uma cidade pólo em educação especial

São Borja, cidade em que está enterrado o corpo do ex-governador Leonel Brizola, um entusiasta da educação, é uma das 144 cidades pólo em educação especial no Brasil. O pólo atendido pelo município engloba outras trezes cidades da região. O objetivo é formar e capacitar professores e gestores na área da educação inclusiva. Pela designação, São Borja tem a responsabilidade de coordenar a Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva no pólo regional. Os recursos financeiros para a formação desses profissionais são providos pelo Governo Federal.
Para a secretária municipal de Educação e Cultura, Ana Cláudia Gattiboni Dutra, as escolas municipais da cidade estão preparadas para receber os alunos com NEE (ver entrevista na página ao lado). Ana Cláudia diz que a secretaria tem recebido os materiais do Ministério da Educação (MEC) e que a prefeitura está se empenhando no tema. Afirma, ainda, que sempre se tem o que melhorar, como banheiros que precisam ser adaptados.

Enquanto isso, na sala de recursos...

Aos alunos especiais é ofertado em sua própria escola ou em outra instituição de ensino o Atendimento Educacional Especializado (AEE). Com recursos do Fundo de Manutenção da Educação Básica (Fundeb), geridos pelo poder público municipal, as escolas inclusivas dispõem de uma sala de recursos multifuncionais, equipada com computadores, brinquedos e outros materiais pedagógicos.
O aluno portador de NEE realiza as atividades no turno inverso ao das aulas. O tempo médio é de 45 minutos. Os professores determinam quantos dias por semana o aluno receberá o atendimento e se este será feito de forma individual ou em pequenos grupos de dois ou três estudantes. Quando o aluno não consegue fazer uma prova na sala comum a avaliação pode ser feito na sala de recursos.
Cada aluno tem um Plano de AEE elaborado conjuntamente pelos professores das salas de recursos e comum. O plano, que pode contar com a participação dos pais do aluno, deve ser adequado à realidade de cada estudante.

Silvana: estimulação precoce dá resultados

Os profissionais da área da educação especial destacam a importância da estimulação precoce para os deficientes. É o caso da aluna da Escola Ubaldo Sorrilha da Costa, Silvana Damaceno, portadora de síndrome de down que aos sete anos de idade consegue, à sua maneira e dentro das suas possibilidades, ter uma rotina de aula praticamente normal a de seus colegas do segundo ano do ensino fundamental.
Ela se senta próxima à mesa da professora Adriana Andrade e vai rabiscando um desenho no caderno, enquanto os colegas realizam a tarefa exposta no quadro. Está tentando aprender a letra “A”, inicial do nome da professora. O objetivo é associar o alfabeto ao nome das suas professoras e aprende-lo por completo até o final do ano.
- “O que ela aprendeu na semana anterior, esquece na seguinte. Sempre se tem que retomar. O desenho é para acompanhar os outros colegas”, explica Adriana.
De acordo com a professora, a estudante já apresentou evolução, porque anteriormente fugia da sala e não segurava o lápis corretamente. Kátia Damaceno, mãe da aluna, também percebe o desenvolvimento de Silvana. Antes de freqüentar a escola comum, a menina estudou na Apae. Aos três anos entrou para a Escola Municipal de Educação Infantil América Teixeira em São Borja.
“– Antes ela tirava a língua para fora, não queria sentar direito, queria comer com as mãos. Na escolinha (América Teixeira), aos três anos, a convivência social dela progrediu bastante. Ela sabia o que tinha que fazer”. Na atual escola, conta a mãe, ela conseguiu desenvolver a fala, algo não atingido até os cinco anos de idade. Nas brincadeiras com as crianças, aprendeu a socializar-se.
A síndrome de down afetou Silvana, sobretudo, na fala. Ela necessita de atendimento fonoaudiológico, mas Kátia diz que não consegue vaga para o tratamento.
Além das aulas regulares, Silvana faz atividades na sala de recursos no turno inverso de suas aulas. A professora Alzira Carvalho, que atende na sala alunos deficientes da própria escola e de outra instituição estadual de ensino da cidade, define Silvana como “uma aluna bem espontânea”, pois tem iniciativa e interage com os colegas.
Sobre a inclusão, Kátia não tem dúvidas: “– Eu sou a favor. Eu quero ver ela (Silvana) progredir, ela não é diferente. A única diferença é não falar, ter o olhinho puxado, fora isso, não tem diferença”.

Joseane: dúvidas sobre a inclusão

“Não sei, vou ver”, afirma Sara Robalo, mãe de Joseane, 13 anos, aluna portadora de síndrome de down da Escola Ubaldo Sorrilha da Costa, respondendo sobre a continuação da filha na escola comum. Sara diz que pensou em “experimentar” a ideia de Joseane estudar na escola “para ver se melhorava”, após retirar a menina da Apae. A conclusão ela vai fazer no final do ano letivo. Além da síndrome de down, a jovem também tem problemas de pressão cardíaca e encontra dificuldade para caminhar sozinha.
Esta é a primeira vez que Joseane está incluída em uma escola comum. Apesar do ceticismo, Sara notou avanços:
“- Quando ela entrou aqui ficou mais alegre. Em casa ela tem mais disponibilidade para brincar, se liberou mais”.
Segundo Sara, uma psicóloga que atendeu Joseane disse que o jeito reservado e de pouca iniciativa é devido ao temperamento da menina. Recomendou que se respeitasse essa característica.
Em sala de aula, a professora Cecília Saueressig procura incluir Joseane em todas as atividades. Logo no início do dia, na hora do conto, a menina “lê” para seus colegas uma história, fazendo gestos com a boca, tentando balbuciar algumas palavras, enquanto mostra as figuras do livro para a turma. As crianças estão sentadas em circulo, junto com a professora, que ao lado de Jô vai incentivando a menina a falar.
Enquanto a diretora da escola, Nadir Carvalho, entra na sala e cumprimenta os alunos, Jô ri sozinha, dentro de seu mundo particular. Afora isso, permanece silente, com o olhar vago. A diretora se retira, Cecília escreve no quadro as atividades do dia, pede a participação da menina, mas é necessário que a professora a conduza em direção ao quadro. Jô faz os seus traços no quadro.
Posteriormente, a tarefa da turma é pintar um soldado, desenhado em uma folha, já que aquele era o Dia do Soldado. Joseane utiliza diversas cores em sua pintura e sabe identificar a maioria delas. Segundo a professora, para essa atividade a aluna é independente.
“- Às vezes deixo ela sozinha um pouco para atender os outros alunos, mas mesmo assim sempre estou ‘puxando’ ela”, ressalta Cecília.
Por fim, após tentativas da professora, Jô consegue dizer o seu nome, o da professora e o meu. Ela comprova que, respeitado o seu tempo, consegue realizar a tarefa solicitada.

Geovana: acessibilidade para uma cadeirante

Na aula de história da turma do quinto ano da Escola Francisco Miranda, a professora Maristela Santos pergunta:
“- Quem vai ajudar a Geovana?”
“ – Eu!”, responde a turma, em uníssono.
Todos os alunos querem ajudar a colega Geovana Bastos, 16 anos, portadora de deficiência múltipla, causada por uma lesão cerebral que afetou tanto intelectual quanto fisicamente a jovem. Geovana é cadeirante, mas conta com a ajuda dos colegas para entrar na sala e copiar os temas de aula. Por só conseguir ler palavras simples e não saber escrever, a professora ou um colega copia o material no caderno da estudante.
Para Rosângela Trindade, o retorno oral da jovem é bom:
“ – Ela fez uma prova de português, na sala de recursos, em que a gente leu o texto para ela e fez as perguntas. Ela deu todas as respostas e foi bem”, lembra Rosângela, salientando que o professor deve saber até onde o seu aluno pode chegar.
Em casa, conforme relata a mãe da estudante, Elaine Bastos, Geovana consegue se locomover com o apoio de um andador e tenta desempenhar afazeres domésticos.
“ - Ela tenta lavar a louça, vai na pia da cozinha, mas eu tenho medo que ela vá cair”, afirma Elaine. Geovana demonstra ter o desejo de aprender a fazer as tarefas.
No turno inverso ao da escola, uma vez por semana, realiza tratamento de equoterapia – método terapêutico e educacional que utiliza a equitação - na Apae de São Borja. Pela vontade de Elaine, sua filha continuaria na Apae, pois considera que o número reduzido de alunos por sala torna o atendimento melhor que o da escola comum.
O histórico escolar da jovem é de ter estudado até os onze anos na Apae de São Borja. Há cinco anos está incluída na escola comum.
A orientadora acredita que o mais importante é que a estudante sabe responder o que lhe for perguntando a respeito dos conteúdos, e que a exigência de saber ler e escrever vem da sociedade.

Geiso: incluído na escola pioneira

Aos 17 anos, com cerca de 1,80 cm de altura, Geiso Turba chama a atenção na turma do quarto ano do ensino fundamental da Escola Vicente Goulart. Seus colegas são menores, como se fossem irmãos mais novos. No início tinham certo receio do colega, mas depois a socialização se tornou plena. Geiso é portador de deficiência mental, característica que não impediu o jovem de interagir com os colegas.
Na aula da professora Angelita Pereira ele está sempre resolvendo alguma tarefa, normalmente pintando desenhos que copiou do caderno dos colegas. De acordo com Angelita, essa foi uma maneira de aproximar o aluno do restante da turma, que está sempre disposta a ajudá-lo. Geiso também está sempre disposto a emprestar os seus materiais para as outras crianças, como lápis de cor. O quadro-negro é dividido em duas partes: do lado esquerdo, a atividade de Geiso; do lado direito, a dos demais.
Mas não é só por desenhos que é composta a rotina pedagógica do jovem. A professora conta que ele está aprendendo a escrever algumas palavras. No momento da educação física o acesso também está garantido. Existe uma rampa que leva até a parte de trás da escola, onde está localizada a quadra de esportes. Geiso hoje está jogando futebol. Como medida de segurança, ele não vai até a quadra para não se machucar, já que também encontrar dificuldades para caminhar, praticando a atividade do lado de fora da quadra. No turno inverso da escola freqüente a Apae para receber atendimento de fisioterapia.
De volta à sala, levanta-se reiteradamente para mostrar à professora o que está fazendo. Demonstra curiosidade pelo material que carrego: bloco de notas e mp4. Quer saber do que se trata, para que serve. Depois, pede para que eu faça um desenho em seu caderno para colorir.
A escola de Geiso é pioneira em educação especial na cidade. Nos anos 90, um grupo de professoras da escola Vicente Goulart teve a iniciativa de ofertar vagas na escola para deficientes auditivos, dando início ao processo inclusivo no município. Os alunos tinham aula nas classes especiais, como eram chamadas à época. Em seguida, outras instituições municipais de ensino de São Borja também ofereceram o atendimento como uma extensão do trabalho que era prestado no Vicente Goulart. Atualmente as classes especiais foram abolidas de todas as instituições de ensino, mas a importância do trabalho iniciado pela escola dimensiona-se pelo ineditismo da ação.

Desafios da inclusão: com a palavra, os professores.

Com a autoridade de quem atua na área da educação há cerca de trinta anos, a professora Alzira Carvalho se preocupa com o futuro da inclusão nas escolas:
“ – Na teoria é muito bonito, mas na realidade é bem diferente. Foi implantado de cima para baixo. Primeiro deveria se capacitar os professores”. Alzira assinala que cada caso é um caso, não existindo fórmula pronta para a educação inclusiva.
A educadora explica que o conteúdo deve ser dado para os alunos comuns e, depois, de uma forma alternativa para que os alunos com deficiência não fiquem excluídos na turma. “É preciso se doar muito”, comenta. O professor, conclui, deve buscar métodos diferentes de aprendizagem e o trabalho deve ser feito em sintonia entre a sala comum e a sala de recursos.
Adriana Andrade afirma que se deve estimular as atividades complementares desenvolvidas na Apae ou em outra entidade, conforme já é feito por alunos, pois isso contribui com o processo inclusivo. Maristela Santos diz que dependendo da deficiência não é fácil cumprir os objetivos da inclusão, por exigir bastante do professor. Ressalta a necessidade da participação de todos, como os familiares. Carmem, professora de matemática da escola Francisco Miranda, diz que, dependendo da situação, não existem muitas opções para o ensino. Rosângela Trindade aponta a não aceitação do professor como obstáculo para a inclusão.
Recém formado em Letras por uma universidade da região, Mário Brandes confessa não se sentir preparado para educar os deficientes. Ao longo do curso, teve apenas uma disciplina, a de Língua Brasileira de Sinais (Libras), em que a educação especial era o foco dos estudos. No estágio em uma escola municipal de Itaqui trabalhou com uma aluna portadora de deficiência visual, encontrando dificuldades para o ensino.
“ - Tinha a vantagem de que ela é uma pessoa super independente e tem recursos materiais, como um notebook para a aula. Agora, se é alguém com deficiência que dependa mais de ti, uma criança por exemplo, e não tenha recursos materiais, é difícil. Tu não sabes o que vai fazer”, afirma.
comendo a leitura até o fim. bjs a todos!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

À procura

Oi pesoal. Essa postagem é diferente. Vim aqui procurar um emprego. vou começar a contar minha história e depois no final, posto meu curriculum para análise.
Bem, sou formada em administração de empresas, e sou cega. Moro na cidade de Itaqui, RS, e procuro emprego nessa cidade. O emprego não importa, quero mostrar minhas capacidades e poder desenvolver meu potencial, que está adormecido, visto que ainda não trabalhei. Tenho 25 anos de idade. A única adaptação que necessito é o leitor de tela, que já existe gratuito na internet.
Se não puder ser um trabalho presencial, pode ser um trabalho no qual eu possa atuar em casa. Quem souber de algo, faça um comentário por aqui e deixe seu e-mail ou tel, pra que eu possa fazer contato. ou siga-me no twitter, que é @taisanjinho.
Sei escrever bem, conheço um pouco de informática e estou disposta a aprender. Vou deixar meu curriculum para avaliação. aguardo retorno!

CURRICULUM VITAE

IDENTIFICAÇÃO

Nome: Taís Lopes Carvalho
Endereço: Rua Sepé Tiaraju, 551, bairro Cohab Fone: (55) 34338335 Celular: (55) 9196 8488
Cidade: Itaqui CEP: 97650 - 000 Estado: Rio Grande do Sul
Filha de Cenilda Lopes Carvalho e Ricardo Farias Carvalho
Nacionalidade: Brasileiro Naturalidade: Itaqui - RS
Data de Nascimento: 30/11/85 Estado Civil: Solteira Grau de Instrução: Ensino Superior completo


ESCOLARIDADE

CURSO Ensino Fundamental (1ª a 8ª série)
Escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental José Gonçalves da Luz
Cidade: Itaqui - RS Período: 1995 a 2002
CURSO ENSINO MÉDIO:
Escola: Colégio Estadual São Patrício
Cidade: Itaqui - RS Período: 2003 a 2005
CURSO ENSINO SUPERIOR:
Entidade: Universidade da Região da Campanha Curso: Administração com hab em administração de empresas
Cidade: São Borja - RS Período:2006 a 2010






CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO, PÓS-GRADUAÇÃO, SEMINÁRIOS, PALESTRAS, ETC.

Assunto: Dicção, desinibição e oratória básico
Entidade: SENAC Período: 4/4/2010 a 19/04/2009 Duração: 30 horas


Observação: possuo deficiência visual total, sendo necessárias apenas adaptações quanto a leitores de tela em computadores da empresa.Se não houver problemas, eu mesma posso disponibiliza-los a empresa.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

do fundo do poço à gloria

Oi gente.; hj estava analizando os acontecimentos do campeonato brasileiro e fiz uma reflexão. O campeão do campeonato brasileiro o ano passado, estava lutando pra não cair, e hj, depois de um ano, q difeença! O gremio, a menos de 6 meses, estava em crise, e hoje, torce pra o goiás perder a sul-americana. Assim, ele consegue vaga na libertadores. e o próprio goiás, que está rebaixado no brasileirão e hj luta por um titulo na sul-americana...
Trazendo isso para nossa vida, quantos de nós já passaram por autos e baixos na vida, e tudo em tão pouco tempo? Uma hora, estavamos com um problema imenso a resolver, e de uma hora para outra, a sorte plena nos sorria. e quantas vezes agradecemos por isso e vibramos como os torcedores e jogadores de um time de futebol? Tenho quase certeza que a gente se esquece de agradecer às glórias alcançadas, pela correria, ou pelo simples esquecimento.
Aliás, acho que às vezes, precisamos entrar na "zona de rebaixamento" para aprender a dar valor a "série A" da nossa vida. E mesmo assim, a gente não se dá conta disso.
Portanto, tentemos levar a vida como um jogo de futebol, vibrando com as vitórias e lutando para não cair, quando parecer que o tombo é inevitavel. Se agirmos assim, tenho certeza que nossa vida será bem mais empolgante do que agora; tão empolgante quanto um campeonato de futebol. bom jogo a todos!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

suicidio, o que leva a isso?

Oi. hoje vim falar d um assunto bem desagradavel: o suicidio. aqui na minha cidade, em 2 semanas, 2 suicidios.
Os suicidios tem 2 principais motivos: a falta de dinheiro e decepções amorosas. mas será que alguém vale tanto assim pra gente preferir morrer à ficar sem seu grande amor? será que o sofrimento é tão grande assim? falando de mim, nunca me mataria por esse motivo, pelo menos.
E a falta de dinheiro, será que essas pessoas são tão materialistas que acabam preferindo morrer a ficar sem grana? ou será que é o desespero de ficar com seu nome sujo, o desespero de ser mal falado, ou de sua própria consciencia ficar martelando sua cabeça dia e noite? nesse caso financeiro, é uma coisa mais complicada.
Mas nos dois casos, tenho uma opinião: baixa autoestima. a pessoa se julga tão incapaz, tão insignificante, ou pelo menos, tão menor que o desespero que sente, que resolve acabar com sua própria vida. e a familia acaba sendo algo sem sentido, pois essa atitude não deixa de ser egoista, na minha opinião.
A unica coisa que podemos fazer é rezar por esses irmãos tão perturbados e tristes. e rezar pra que nenhum de nós cometa tão grande insanidade, pois ninguém está livre de se descontrolar e atentar contra a própria vida. oremos e tenhamos em mente que o mais importante é a familia, os amigos e as coisas boas que a vida nos trouxe. as más são passageiras.

sábado, 27 de novembro de 2010

uma nova tais 2011

oi pessoal. vim aqui pra comunicar algumas mudanças, algumas mudanças que precisavam ser feitas em mim mesma e que eu resolvi fazer a partir de agora.
de agora em diante, se não gostar, falo na cara, sem ser mal educada, mas expresso o que n~´ao quero mais. também não vou deixar de topar nenhum desafio, ´por isso, se tiver que me mandar de casa pra arranjar um emprego, to dentro!
não vou recusar um convite pra dar uma volta, seja com quem for! e outras coisas mque ainda tenho que ajustar, mas por enquanto, são essas as principais mudanças. as outras vão ocorrendo aos poucos, talvez sem eu mesma perceber.
Faz tempo que tava planejando elas, mas agora, vou coloca-las em prática.espero que surtam efeito!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

umas novidades

oi, gente. faz um tempinho q ñ posto, por isso, vim postar algumas coisas q ando fazendo.
comecei a ser aprendiz de prof de evangelização no centro espírita onde frequento, e já estou numa pecinha de natal. Ainda não tenho a postura d professora, né... até pq, sou muuuuuuito timida pra ser o tipo de pessoa que coordena, mas, vamos tentar. rsrsrs.
Também estou fazendo um curso de capacitação em administração agropecuaria e manejo de pastagens. Sei que muito do curso não vou poder aproveitar, mas a parte de administração me interessa, e tudo que possa enriquecer o curriculum, tá valendo.
Estou à espera da minha carteira de trabalho, que mandei fazer e só chega daqui uns 15 dias. Vamos ver se depois dela e do curso, consigo algo.. e to por aqui, em busca de novos cursos e principalmente: uma oportunidade para adquirir experiencia profissional.
No mais, nada de novo. Amanhã ou depois venho postar umas coisas que achei interessantes e copiei pra mim.
bjinhos!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

dicas para integrar pessoas com deficiencia em sua empresa

Oi pessoal. estou postando aqui dicas que não poderia deixar de dar: sobre como integrar um funcionario portador de deficiencia em sua empresa. Depois de ler essas dicas, espero que as pessoas saibam o quanto é fácil fazer isso, muito ao cont5rário do que se pensa. aproveitem!

A Lei 8.213/91 ou a conhecida Lei de Cotas abriu caminhos para que muitos profissionais portadores de deficiência tenham um espaço digno no mercado de trabalho.
Se por um lado existe a preocupação com os processos seletivos para captar esses talentos, as organizações também se deparam com outra situação: integrar
esses trabalhadores aos demais membros das equipes, já que eles terão que dividir o mesmo espaço físico no dia a dia corporativo. Abaixo, seguem algumas
dicas que podem auxiliar o processo de integração dos PNE (Portadores de Necessidades Especiais) à realidade corporativa.

1 - Quando uma vaga for aberta para um portador de necessidades especiais, o gestor deve comunicar aos membros de sua equipe que, em breve eles, receberão
um novo colega para atuar no setor.

2 - Durante a reunião - para informar a contratação do PNE -, a liderança pode abrir espaço para que os demais profissionais tirem dúvidas sobre o novo
colega e como cada um poderá ajudá-lo, quando e caso seja preciso.

3 - A liderança pode ainda perguntar se alguém da equipe já trabalhou com um portador de deficiência. Caso algum membro já tenha atuado, o relado da experiência
dessa pessoa para os demais colegas pode tornar-se uma oportunidade para facilitar a integração deles com o recém-contratado.

4 - De acordo com tipo de deficiência do profissional, a equipe deve receber orientações sobre como auxiliar o PNE. Se for alguém com deficiência auditiva,
por exemplo, é aconselhável que algum profissional do setor conheça a linguagem das Libras. Hoje, existem cursos na Internet que ensinam o significado
de cada sinal feito através das mãos.

5 - Assim que a contratação for efetivada, o gestor deve reunir-se com o PNE para saber se ele precisa de algum tipo de apoio não apenas em relação à infraestrutura,
mas também para que se sinta confortável diante dos demais colegas. Vale ressaltar que essa conversa serve como base para o início da integração.

6 - Depois de uma conversa com o líder, o PNE deve ser apresentado aos demais membros da equipe. Nesse momento, uma apresentação descontraída pode "quebrar"
uma possível "tensão" tanto de quem ingressa na empresa quanto dos demais profissionais que trabalharão com o colega deficiente.

7 - Em seguida, após se apresentado aos demais colegas que farão parte do seu dia a dia, é o momento de conhecer os demais setores da organização. Uma visita
aos outros departamentos é fundamental para uma integração mais rápida.

8 - Durante as primeiras semanas, o gestor pode solicitar que algum colaborador torne-se um mentor do PNE. Com isso, o recém-chegado tem a chance de tirar
dúvidas com mais rapidez e em contrapartida ter uma adaptação mais rápida, bem como uma performance acima do esperado.

9 - Além da integração com os colegas do setor, o PNE deverá ainda participar de um treinamento de integração como qualquer outro profissional que ingressa
na empresa. Afinal, ele precisa: saber o que a empresa espera dele; conhecer a cultura e os valores organizacionais; ações relacionadas à segurança no
trabalho; planos de cargos e salários; ações motivacionais, entre outros.

10 - Como não poderia ser diferente, a área de Recursos Humanos deve estar sempre preparada para dar o suporte ao PNE e, para isso, é preciso manter as
portas abertas para receber sugestões e acompanhar a integração desse profissional em relação aos demais colaboradores e à organização como um todo.


Fonte: www.rh.com.br

sábado, 13 de novembro de 2010

Exclarecimentos necessarios

Oi gente. vim aqui prestar alguns esclarecimentos sobre um assunto do qual conheço um pouco e acho que por falta de conhecimento, as pessoas, ainda hoje, vêem mal a ele: o espiritismo. Não pretendo aqui tornar alguém espirita, apenas que quem um dia for falar dele, fale pelo menos com conhecimento de causa. Então, vamos a eles:
Primeira coisa a ser dita é que, sim, o espiritismo acredita em Deus, segue a biblia. Apenas a interpretamos segundo o que Jesus disse através de metáforas, para o entendimento do povo da época. Então, pessoal, vamos parar de dizer que espirita não é cristão, porque somos cristãos e acreditamos em Deus acima de qualquer coisa.
Outra coisa: o espiritismo não é apenas uma filosofia de vida;; é uma ciencia, pois coisas que o espiritismo já mostrava estão sendo comprovadas até por grandes médicos cientistas; é uma filosofia, pois possui no nosso entender, é claro, uma fé raciocinada, que busca resposta para toda e qualquer pergunta; e é religião, pois segue os principios da biblia cristã.
Não somos macumbeiros, feiticeiros, não temos pacto com o Diabo. Pelo contrário: achamos que a salvação para os males do mundo é a caridade, a benevolência e a indulgencia. Nosso lema, e se não me ingano, pregado por nosso mestre no Brasil, Chico Xavier, é: "fora da caridade não há salvação.". e falo da caridade de aceitar o outro com seus defeitos, suas crenças, sua raça, opção sexual...
E quando falamos em reincarnação, não quer dizer que reincarnamos em forma de animais ou plantas. Quem veio humano, não deixa de ser humano jamais!
Eu não quero doltrinar ninguém, até porque, seria contra nossa crença não aceitar a fé alheia, pretendi aqui esclarecer algumas injustiças e equivocos que ainda hoje essa religião, tão injustiçada, ainda sofre.
Espero que tenham entendido meu ponto de vista e por favor, quem é de outra religião, não se ofenda com minha postagem. abraços!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Os jovens e a tecnologia

Oi gente. vim postar um texto do site rh.com.br, onde fala que por conta da tecnologia, os jovens não estão mais sabendo interagir em sua vida pessoal. ficam tanto tempo falando virtualmente com as pessoas, que não sabem se comportar quando as mesmas estão diante de si.
Isso me fez refletir, e me coloquei apenas um horário p estar no pc, pra não ficar como esses jovens quase... antissociais que estão sendo formados agora. Leiam e opinem. e assima de tudo, reflitam!

Juventude: comportamento em desenvolvimento

Wagner Campos

Tenho observado que as dificuldades de comunicação e comportamento dos jovens têm aumentado constantemente. Não se trata mais apenas de imaturidade e inexperiência,
mas de desvios culturais e comportamentais adquiridos em seu convívio pessoal e obviamente excesso de tecnologia. Sim, tecnologia! Com uso exagerado de
softwares como MSN e e-mails, estes jovens aumentam suas dificuldades em pensar no que escrevem e como escrevem. Algumas mídias sociais infelizmente colaboram
para esta mesma alteração, apesar de não ter esta finalidade.

Os jovens passam a se comunicar com maior frequência apenas virtualmente e acabam esquecendo-se de como é interagir pessoalmente com outros interlocutores.
Seus e-mails são mal formulados e que causam grande dificuldade de interpretação no que realmente desejavam dizer.

Mais grave é quando se trata de comunicação pessoal. Seus comportamentos demonstram desconforto em conversar e uma enorme dificuldade em elaborar perguntas
e respostas de forma a obter um diálogo agradável e objetivo. Como se habituaram a utilização da tecnologia e abreviação das palavras e frases, acabam
por utilizar a mesma agilidade em conversas, porém sem grandes resultados.

Em entrevistas de emprego, não olham nos olhos do entrevistador, não têm um raciocínio mais lento e demonstram enorme nervosismo, muito superior ao nervosismo
tradicional de uma entrevista.

E como superar estes obstáculos e conseguir se desenvolver pessoalmente e profissionalmente?
A tecnologia deve ser usada, mas não apenas para uma comunicação informal ou fútil e sim para busca de informações, leituras e interpretações de conteúdos
disponíveis na rede, porém de sites confiáveis, pois se sabe que muitas informações disponíveis na rede são falhas ou falsas.

É importante manterem-se atualizados pelo menos o básico: mercado, política, responsabilidade social, sua cidade e seu país. Obter informações apenas de
noticiários de televisão é empobrecer ainda mais sua cultura e informação, pois estes canais de comunicação também são limitados devido ao tempo e objetivos
do mesmo.

A fonte de conhecimento deve vir de um composto de recursos como, por exemplo: livros, revistas, internet, televisão, escolas etc. É importante também participar
de treinamentos que abordam relacionamento interpessoal e comunicação eficaz. Caso não tenha condições de participar destes tipos de treinamentos, passe
a observar o comportamento das pessoas no ônibus, na padaria, no mercado, na escola, na empresa e em todos os lugares. Veja se concorda com a atitude de
algumas pessoas, o que você faria no lugar delas e se já fez algo semelhante e se identificou com determinada situação. Até mesmo alguns bons filmes poderão
ensinar a como se comportar ou expressar.

Passe a olhar mais nos olhos de seus interlocutores, ouça com atenção as informações e somente depois de analisá-las e compreendê-las responda. Evite ser
agressivo. Esteja disposto a ouvir. Nem sempre você obterá uma resposta exatamente como você espera, mas, com certeza, comunicando-se e expressando de
forma errada, conseguirá uma resposta exatamente contrária a qual você deseja.
Criando este hábito, seu raciocínio será cada vez mais rápido e você assimilará as informações com maior qualidade muito mais facilmente.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

palhaçada na educação

Gente, vim mostrar aqui minha indignação com o nosso Ministério da Educação e o seu descaso total com o ENEM, uma prova que deveria ser para avaliar o ensino médio com seriedade.
Pra começar, como é que o MEC depende de licitação para escolher a gráfica que vai imprimir a prova? no meu ver, o MEC deveria ter gráfica própria, pois pela lógica das pessoas normais, um lugar que trabalha com educação deveria ter essa atividade como prioritária na empresa.
E como que um ENEM com tantas regras rígidas permite que os alunos entrem com aparelhos eletrônicos e postem na internet conteudos da prova? isso é levar a educação à dsério?
Quem vai levar o Brasil à sério, um país que definitivamente, não prioriza de jeito nenhum, nossa educação? Não sei como são escolhidos os cargos no MEC, mas se forem cargos de confiança, tem que serem mudados já, sem esperar o próximo governo, ou a próxima pataquada do ENEM.
Esperamos que ano que ano que vem, a próxima presidente tome atitudes drásticas com um país que não está se levando à sério, e que se seguir assim, merecerá o desdém dos demais.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Anseio por novidades

nesse momento, estou sem fazer nada, absolutamente nada. e nunca pensei, mas isso me aflige. Estou ávida por novidades, qualquer uma. Mas novidade daquelas que bagunçam com a nossa vida, que reviram tudo do avesso.
Mas é claro, quero novidades boas. um emprego novo, a chegada de alguém novo, seja um grande amigo, seja mesmo e principalmente, um grande amor. Mas quero muito algo pra mudar minha vida. uma viagem, qualquer coisa!
essa coisa de não fazer nada, agora percebi, não é mesmo pra mim;. sou alguém que gosta de aventuras, de inconstancia. e que estranho, só agora percebi isso.
é bem como dizem, a gente não conhece nem a gente mesmo.
então, que venham as novidades antes que morra de tédio! hehehehe

terça-feira, 2 de novembro de 2010

escolher demais faz mau ao cérebro, diz estudo

oi gente. vocês vão ver um estudo impressionante retirado da revista Superinteressante, onde fala que muitas possibilidades de escolha pode dar um tilt no cérebro. Nunca tinha prnsado nisso. leiam e tirem suas próprias conclusões. bjs!

Não escolha demais. Seu cérebro pode pifar
Sheena Iyengar perdeu a visão ainda na infância. Por isso, precisa da opinião dos amigos para tomar boa parte de suas decisões. De tanto ponderar o gosto
dos outros, Sheena, professora de negócios da Universidade Columbia, resolveu entender como fazemos nossas escolhas. O que ela descobriu? Que o cérebro
não sabe lidar muito bem com escolhas. E dá tilt se exigimos demais dele.
por Eduardo Szklarz

Ter muitas opções geralmente é encarado como liberdade de escolha. Mas você diz que essa liberdade pode nos levar a
decisões
malfeitas. Por quê?
Quando vai escolher algo, o que você faz? Compara todas as opções disponíveis para ter certeza de que tomará a melhor decisão. O problema é que, quanto
mais opções temos, mais esse processo fica pesado e confuso. Acabamos sobrecarregados. E nos sentimos obrigados a escolher só porque as opções estão disponíveis.
Em muitos casos, isso termina em frustração.

Poderia dar exemplos?
Fiz um estudo em um mercado dos EUA com potes de maionese. Alternei duas mostras na estante: uma com 6 sabores e outra com 24. Dos clientes que passaram
pelos potes, 60% foram atraídos pelo grupo maior. Os outros 40%, pelo grupo menor. Mas apenas 3% dos clientes compraram um pote de maionese quando havia
24 sabores. Quando havia 6 sabores, 30% fizeram a compra. Ou seja: a presença de mais
escolhas
era mais atrativa, mas dificultava a decisão.

Isso também vale para outras situações da vida?
Sim. Em outro estudo, eu e minha equipe demos a estudantes a chance de escolher entre pessoas que gostariam de namorar. Eles podiam decidir entre 10 ou
20 possibilidades. Quando recebiam 10, escolhiam de acordo com a preferência: buscavam uma pessoa bonita, sincera, inteligente, divertida, e assim por
diante. Mas, quando se viam frente a 20 possibilidades, deixavam de lado todos esses critérios e escolhiam apenas com base no aspecto físico. Já não conseguiam
ter em conta todas as opções. A escolha virou um peso.

Até que ponto a
cultura
influencia nossas
decisões?
Em qualquer
cultura,
escutamos histórias desde pequenos. E nessas histórias vem uma mensagem sobre quem deve fazer as
escolhas
e sobre a melhor forma de escolha. Nos EUA, as pessoas crescem acreditando que devem decidir sozinhas o que querem. Aos 2 anos de idade, uma criança americana
escuta do pai: "Que sorvete você quer tomar?" Aos 4, a pergunta é: "O que você vai ser quando crescer?" Na Índia, as mensagens são diferentes: "Que bom
garoto, faz tudo o que o pai lhe diz para fazer" ou "Fulano é feliz no casamento porque seguiu os conselhos dos pais". Portanto, a
cultura
guia nossas
escolhas.

Como podemos fazer
escolhas
melhores?
Precisamos ser estratégicos. Quanto mais você simplificar ou delegar
escolhas
que não são importantes, mais recursos mentais terá para as que importam. Para mim, é importante pensar sobre como vou organizar um estudo. Não me importa
tanto o que vestir para ir ao trabalho. Em 3 minutos decido a roupa e o sapato, e assim elimino
decisões
que ocupariam meu tempo. Claro que, se essa decisão fosse importante para mim, não a tomaria com pressa. O que digo é: escolha bem o momento em que vai
fazer suas
escolhas.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Os 10 profissionais mais procurados pelas empresas

oi gente. vi num texto do g1 os 10 profissionais mais procurados no mundo e no Brasil. vamos a eles.

No mundo, percentual é de 31%, diz estudo da Right Management.
Do G1, em São Paulo

imprimir
Em uma pesquisa realizada com 35 mil empregadores em 36 países, a consultoria Right Management, especializada em gestão de talentos e carreira, chegou aos dez tipos de profissionais e cargos com maior grau de dificuldade para serem preenchidos no Brasil e no mundo.
De acordo com a consultoria, são eles, em ordem de dificuldade:
1 - Trabalhadores qualificados (profissionais que têm, ao mesmo tempo, qualificação e experiência em determinada área como  tecnologia, web designers, enfermeiros e médicos, especialistas em biotecnologia, advogados com conhecimento em leis trabalhistas e administradores especializados em e-commerce).
2 - Representantes de vendas
3 - Técnicos (várias áreas)
4 - Engenheiros (várias áreas)
5 - Profissionais de contabilidade e finanças
6 - Operadores de produção
7 - Secretários e assistentes pessoais
8 - Executivos de administração
9 - Motoristas
10 - Operários
No Brasil, a mesma pesquisa indica a seguinte ordem:
1 - Técnicos (várias áreas)
2 - Trabalhadores qualificados
3 - Operadores de produção
4 - Secretários e assistentes pessoais
5 - Operários
6 - Engenheiros (várias áreas)
7 - Motoristas
8 - Profissionais de contabilidade e finanças
9 - Profissionais de tecnologia da informação (TI)
10 - Representantes de vendas
Escassez de talentos
De acordo com a consultoria, a escassez de talentos é cada vez mais um grande desafio para as empresas em todo mundo.

No Brasil, porém, o estudo demonstra que essa dificuldade de encontrar profissionais é maior, já que o percentual de empregadores no mundo que indicaram dificuldade para preencer uma vaga é de 31% e, no Brasil, esse percentual sobe para 64%.
A Right Management possui mais de 300 escritórios distribuídos em mais de 50 países ao redor do mundo.

 

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

saudades... passam?

Hoje fui dormir e acordei com saudades de alguém que eu já deveria ter esquecido. Achei que pra esquecer alguém bastava se magoar, ficar brava e tirar essa pessoa da sua vida. mas vi q ñ é assim.
voce se nagoa, fica triste, raivosa. mas quando vc ama, perdoa e diz: siga sua vida; mas acaba que quando se ama de verdade, como eu agora percebi q amo, a gente pensa na maldita pessoa 24 horas por dia, sem querer, por qualquer motivo. é só tocar uma musica, alguém falar uma frase, q pronto: a maldita pessoa aparece em sua mente..
e voce fica louca pra sair correndo, pedir desculpas, por favor, ñ sai da minha vida!
Mas, tenho meu orgulho, meu amor próprio, e com a ajuda dos bons espiritos e achando o q fazer pra ocupar a cabeça, isso tem q passar. ou eu tenho que encontrar outra pessoa, pra ñ enlouquecer!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

atenção a quem está a sua volta

Hoje ganhei um amigo. um amigo que já tinha no msn, mas nunca tinha prestado muita atenção. creio q seremos grandes amigos, pois combinamos em praticamente tudo, tudo mesmo.
Gostamos das mesmas musicas, pensamos o mesmo sobre amor, sobre tudo, enfim. E dai eu fico pensando: como a gente passa pela vida das pessoas e nem se dá conta do quanto elas são especiais, queridas...
É só a gente prestar mais atenção nelas, é só a gente simplesmente conversar com elas. Tomara que nossa amizade seja duradoura e linda!

domingo, 24 de outubro de 2010

uma letra linda

Oi gente. Hoje vim postar uma omenagem aos carreteiros: a letra de uma musica gaucha q ouvi hoje e adorei!b procurem a musica, pois ouvir a musica é muito mais lindo do que ler a letra. O nome da musica é O Canto do Carreteiro.
Não sei se ainda existem os carreteiros que usam bois para puxar suas carretas, mas essa classe contribuiu muito economicamente. Talvez não tenha sido valorizado como merece, assim como não são valorizados nossos caminhoneiros. Pensemos nisso e curtam a letra.; e não esqueçam de ouvir a musica!

Letra da musica O Canto do Carreteiro:

Sonolento fim de tarde

De um retalho de verão

Cascos que vieram de longe

Martelando sobre o chão

Pés descalços na poeira

Marcas de calo na mão

Lábios que juntam sem pressa

Fragmentos de canção

Vai, carreta vai

Rodando vai

Que o tempo é patrão

Em casa roda que gira

Corta tiras de chão

Vai, boiada vai,

que há bocas que choram

Com fome de grão

E da terra que o boi amassa

Vem a massa do meu pão

À noite vem a saudade

Se chegar branda e faceira

Cantando frases perdidas

Da tuada carreteira

As mãos num gesto de fada

Torcendo vestes caseiras

Penduram trapos de sonhos

Nos arames da porteira

Ainda a última brasa

Teima em ficar acordada

Queimando um resto de vida

Na fogueira já cansada

Lá se vai o carreiteiro

Deixando atrás a tuada

Escrita em letras de poeira

Pelos cascos da boiada

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

um lindo texto sobre marketing

Gente, em busca do que postar, pois isso já virou uma obrigação pra mim, achei um lindo texto sobre marketing. Nunca vi um texto tão poético, e por isso, tão verdadeiro sobre o assunto. espero que gostem, foi retirado do site www.administradores.com

A empresa que entender que o importante é marcar presença nas mentes infantis que são bombardeadas todos os dias e por todos os lados, vai conseguir dar
esse "aproach" quando entender que "o primeiro sutiã a gente nunca esquece", assim como as primeiras mensagens ficarão para sempre.  

Marcar presença, fixar um conceito, agradar e conquistar mentes e corações, esse é o inferno astral do profissional de marketing, que deve criar modas,
distribuir saudades, construir sonhos. Marketing é paixão e também emoção, é banana flambada com sorvete que lambuza os beiços e faz lembrar da infância,
da pureza e do prazer. 

O marketing deve utilizar o elemento saudade como um composto que grava e busca a lealdade. Deve haver ainda muitos consumidores de Toddy que relembram
dos personagens de plástico que vinham dentro do produto, e das muitas crianças que o consumiam rapidamente para comprar novamente o produto e se beneficiar
da novidade. Ah! Que saudades!... 

Marketing é magia e encantamento. É entrar no inconsciente coletivo e marcar presença sem saber sabendo, sem provocar provocando, sendo sutil e ao mesmo
tempo caudaloso como um rio e sabendo a hora certa de penetrar e a hora certa de retirar. 

Marketing é guerrear com as armas que se tem. No fundo, marketing é muito mais do que paixão, é questão de percepção. Se os homens de empresa entendessem
que a maioria dos problemas depende de percepção, seria muito mais fácil e menos custosa a solução. 

Não existem fórmulas fáceis e poderíamos dizer que marketing é, e continuará sendo, 98% de transpiração e 2% de inspiração. Pois essa busca das sutilezas
do pensamento e da ação é feita por pessoas que entendem da vida, das aspirações, dos negócios e também da sedução. 

Marketing é sedução pura, sutil e também delicada de uma combinação da alma atormentada do diabo com a espiritualidade dos deuses. Marketing é o sonho transformado
em realidade. É criar com criatividade e também disparar a adrenalina combatendo os males da vida, fazendo com que os mistérios se tornem cada vez mais
enigmáticos e também com que os segredos possam ser aos poucos desvelados. Marketing é sabedoria e também batalhas e noites sem dormir, comendo sanduíches
e afinando encontro de afinidades. 

O marketing nunca deve esquecer que o melhor produto é aquele que vende muito, porque todos dizem ao próximo algo sobre ele, e que dá lucro. A melhor propaganda
é a boca-a-boca que transborda e convence. 

O marketing é ter o produto certo para o público incerto, tentando encontrar a busca do sonho com o encontro do sonho. Numa orquestra em que os lados possam
funcionar e na qual o maestro seja ele, o consumidor que tem fraquezas, desejos e adora ser quase sempre bem tratado e, por que não, respeitado. Encantar
esse cliente é tarefa diária e vital para o homem de marketing. 

Podemos dizer, parafraseando Kotler que "o marketing é a tarefa, assumida pelos gerentes, de avaliar necessidades, medir sua extensão e intensidade e determinar
se existe oportunidade para lucro".

E quem chegar primeiro na mente dos consumidores tendem a permanercer mais tempo.Marketing é muito simples....

Robson Paniago - Doutor em Ciências Empresariais pela Universidad Del Museo Social Argentino, Coordenador do Curso de Administração do Unisal – Campinas
e Professor de graduação de graduação e MBA da FGV. 

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

o futuro do emprego e o emprego do futuro

oioi gente. vim postar mais um txt do rh.com.br, dessa vez sobre o futuro do emprego. através desse txt, percebemos que antigos empregos ainda existem, apenas mudaram de nome ou se modernizaram. portanto, não nos desesperemos quanto ao futuro dos empregos; nos qualifiquemos
e tudo ficará bem. boa leitura!


O futuro do emprego e o emprego do futuro

Ivan Postigo

Houve uma época em que o homem imaginava o futuro como algo brilhante. Não só no sentido de uma vida melhor, afinal todos nós trabalhamos para isso, mas
porque tudo tinha brilho. Roupas, carros, móveis, espaçonaves. Predominava o material prata e seus reflexos. Basta assistir os filmes de algumas décadas,
de Perdidos no Espaço, passando por "2001: Uma Odisséia no Espaço" até o E.T. Todos têm algo reluzente.

Imaginava o homem receber seu jornal, em sua cadeira de leitura, da boca de um robô-cão. Hoje, a realidade, é que pode lê-lo através da internet ou recebê-lo
do velho Totó, que o trás envolto em baba.

A mulher teria robôs limpando a casa para que pudesse preservar a juventude e a elegância. Carros? Ah, os carros! Seriam como dos Jetsons. Hoje, os temos
com alguns aspectos aperfeiçoados, mais confortáveis e seguros, mas longe das tão sonhadas máquinas voadoras. O mundo não mudou? Sim, claro que mudou,
mas sem as fantasias imaginadas para o ano 2.000.

Estávamos conversando com alguns empresários quando um deles disse: - Não consigo contratar torneiros mecânicos. Ninguém responde meus anúncios. Essa queixa
recebeu apoio de outros que nos acompanhavam.

Um profissional que estava conosco, sem grande envolvimento no setor mecânico, pensando em estender a conversa disse: - Essa é uma profissão em extinção.
Metralhado pelos olhares ouviu: - Extinção coisa nenhuma, quem você acha que usina as peças dos produtos que você compra? Ora, quem diria, no mundo da
rápida obsolescência, precisamos do velho e sempre atual torneiro mecânico!

Que tal o sapateiro? Já não existem mais? Claro que sim, apenas com novas roupagens, instalados nos shoppings! A tesoura não corta, o cabo da panela caiu,
e agora? Joga fora e compra outra ou ainda há conserto? Quem o fará?

Ninguém mais quer trabalhos braçais e manuais, todos querem ser doutores. Será? Meus amigos queriam ser contadores, economistas, médicos, advogados e se
tornaram. Muitos acham que os filhos devem procurar outras profissões pela saturação das áreas em que atuam.

O cozinheiro, profissão que era escolhida por poucos, hoje com melhor direcionamento, virou chefe, e o homem pôs os pés na cozinha. A mulher, sem seu robô
para os cuidados do lar, decidiu por os pés no escritório, as mãos no volante do taxi, do ônibus e do caminhão.

Na direção da empresa não dizemos mais meu chefe, mas minha chefe. Lá está a mulher no comando. Inversão de papéis? Ora, se quiser chamar assim tudo bem,
mas na minha ótica é emprego. A palavra emprego quer dizer ato de empregar ou aplicação, não reserva de situação. O emprego supre necessidades.

Vamos refletir um pouco:

O homem tem necessidades a serem supridas, para isso irá à busca de pessoas com aquele conhecimento específico. Pronto, a necessidade gerou um trabalho.
Esse trabalho gera demanda para aplicação - prefiro emprego - de conhecimento para atendimento às necessidades.

Esse ciclo, necessariamente, gera cargos e empregabilidade fixa? Não obrigatoriamente. Qual o futuro dessa empregabilidade? Como tudo na vida será cíclico,
atendendo momentos e modas. A empregabilidade deve atender o conceito da adaptabilidade e geração de necessidades para ter futuro.

Dentistas, hoje, trabalham mais na correção dos dentes do que na extração. Mecânicos mais em revisões e pequenos consertos que reformas. A evolução do conhecimento
não tem tornado obsoleta as profissões, mas os profissionais.

Quando telefono para o encanador ou bombeiro - a denominação é diferente em algumas regiões - recebo um profissional que já traz um arsenal de peças, e
em minutos realiza o conserto. Um prático? Não, na nossa região um engenheiro, que tem uma empresa de manutenção predial e presta um serviço nota mil.
O velho guarda-livros virou contador, deixou os escritórios, ganhou importância nas empresas e está de volta, atendendo em suas instalações, terceirizando
o emprego do conhecimento. Com isso, muitas empresas que não terceirizam estão sentindo falta de pessoas capacitadas para atendê-las.

O futuro da empregabilidade, que voltou para casa, atuando em terceirização, está gerando a empregabilidade do futuro. O mercado criará, sem dúvidas, uma
forma de tratar a questão, adequando-se à versão já conhecida e resgatando-a ou se adaptando a um novo conceito.

E o caixeiro-viajante que virou vendedor e foi ameaçado pela internet? Este a usa e considera um extraordinário recurso de apoio e alavancagem de seus resultados.
E a velha-lábia? Esta se tornou oratória e o transformou em um comunicador.
Empresas, cada vez mais, estão necessitando de profissionais que apresentem seus produtos com clareza, pois a massa de informações já não permite que o
consumidor e cliente sejam atraídos com facilidade. O vendedor já não pode ser um prático, precisa ser um estudioso da arte do marketing e da comunicação.

Emprego e empregabilidade sempre existirão para o conhecimento que encontra aplicação atendendo uma necessidade. Ao profissional cabe decidir que conhecimentos
quer ter para ter empregabilidade.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

existem espiritos evoluidos?

hoje no jornal do almoço deu sobre a história linda e de superação de um homem, uma história pra se perguntar muita coisa, principalmente se não existem mesmo seres evoluidos, como muitos não acreditam.
o homem nasceu prematuro, e foi colocado pela avó, pois seus pais tinham morrido, em uma caixa d sapatos forrada com algodão, para os ratos não comerem. quando ele tinha 10 anos, sua avó, unico parente q ele tinha, morreu, e ele acabou tendo que morar na rua. ficou em sua cidade por um tempo, até pegar uma carona pra porto alegre, onde morou na rua por um longo tempo.
até que um dia, pedindo comida em lanchonetes, encontrou um portugues que lhe deu comida em troca de que ele lavasse os pratos do local. desde então, usou do seu trabalho pra conseguir hoje, aos 53 anos, ser um empresário.. e pra retribuir a tudo que conseguiu, busca sempre ajudar a quem precisa.
esse homem não foi para o caminho das drogas, do vicio. teve a mão de alguém que acreditou no seu trabalho e lhe deu forças para buscar sozinho, ser cada vez melhor. mas, será que nós, no lugar dele, teriamos essa força? será que na hora do frio e da fome, não cairiamos no vicio das drogas ou da cachaça, como uma forma de aliviar tudo?
é por isso que acredito cada vez mais, que certas pessoas vem com apenas uma missão na terra: nos ensinar a viver, nos mostrar que nossos pequenos problemas podem ser facilmente ultrapassados. pessoas que vieram não para cumprir uma prova ou expiação, mas vieram como anjos a nos mostrar que a vida vale à pena se tivermos um pouquinho de força de vontade, e principalmente: fé na vida.

domingo, 17 de outubro de 2010

empresários, abram o olho!

oioi, gente. hoje venho falar sobre um txt que foi retirado do site rh.com.br
Nele, pergunta-se se os empresários estão valorizando seus funcionários, e dá conselhos aos empresários sobre como manter esse funcionário motivado e fiel a empresa. Uma das coisas mais interessantes e importantes que diz no texto, é que ao contrário do que se pensa, para um funcionário qualificado,~o fato de ser mais dificil arrumar emprego em outro lugar não é mais tão levado em conta; os colaboradores querem ter plano de carreira definido, crescer na empresa. leiam e pensem!

Sua empresa consegue reter os melhores profissionais?

João Moraes Sobrinho

Conheço inúmeras empresas que não conseguem reter os melhores profissionais, os que possuem o maior potencial e que têm, inclusive, o perfil para assumir
cargos estratégicos na organização no futuro. Essas organizações deixam escapar as maiores fontes de vantagens competitivas para seu negócio: os talentos.

Mas por que isto acontece? Por que os bons profissionais não permanecem em longo prazo nas organizações? E para onde eles estão indo? Os melhores profissionais
conhecem o seu próprio potencial e não aguentam esperar por promessas de que um dia serão reconhecidos. Nesse caso, eles simplesmente saem para trabalhar
na administração pública, fazer um mestrado ou até mesmo morar no exterior. Conheço ótimos profissionais que já me disseram que pensam seriamente em pedir
demissão. E coletivamente!

É claro que há exceções. Há inúmeras empresas que possuem bons planos de desenvolvimento profissional para seus funcionários e bons benefícios. Mas, sejamos
sinceros: trata-se de uma minoria. A maior parte das empresas não possui um plano de carreira e as pessoas que nela trabalham simplesmente não possuem
qualquer perspectiva de crescimento profissional. E este, precisamente, é um dos maiores fatores que geram frustração no trabalho: a falta de perspectivas.

Quando um profissional deixa de acreditar que a empresa na qual trabalha tem um projeto para ele, a sua motivação e, consequentemente, sua produtividade
são influenciadas negativamente. Aí surgem aqueles problemas de que muitos empresários reclamam: falta de lealdade, de comprometimento e por aí vai. Mas
a relação de emprego é uma via de mão dupla: "Eu estou disposto a dar minha contribuição. E você?"

Para que uma organização possa atrair e reter pessoas talentosas é preciso que ela desenvolva uma cultura para a qualidade e a valorização das pessoas.
Se não tiver, é bom começar a se preocupar. Os melhores profissionais estão cada vez mais seletivos na hora de escolher uma organização para trabalhar.
Isso mesmo! As pessoas também possuem a prerrogativa de selecionar as organizações onde querem trabalhar. Mas alguém pode argumentar: "Mas, com o nível
de desemprego que está aí não é preciso se esforçar muito para atrair profissionais do mercado, basta oferecer pouco mais de um salário mínimo e pronto".
Isso é verdade em parte, mas para profissionais com pouca qualificação. Para profissionais qualificados isto não funciona.

Uma opção que pode contribuir para minimizar o problema é o desenvolvimento de um plano de cargos, carreira e remuneração. Essa ferramenta não é exclusiva
do setor público, como muitos acreditam. Trata-se de um plano em que cada pessoa que ingressa em uma organização, em longo prazo, tem à sua frente claras
e visíveis opções de crescimento. Vejamos um exemplo: se você entra em uma empresa como auxiliar de escritório sem um plano de cargos, só um milagre irá
levá-lo a ocupar uma posição de supervisor ou de gerente. Mas se a empresa possuir um plano de cargos, você já sabe de antemão o caminho que deve percorrer
para chegar numa posição mais elevada. E com critérios justos e iguais para todos, ajudando a reduzir o famoso "apadrinhamento".

O plano de carreira não é apenas uma ferramenta para favorecer o empregado. Talvez ela favoreça muito mais a empresa. Isso porque, para que um profissional
consiga passar à etapa seguinte em sua carreira, ele deverá cumprir uma série de exigências, como uma capacitação, um curso universitário ou de pós-graduação,
além de passar por uma avaliação de desempenho rigorosa, sem contar que deve estar à disposição da organização por um dado período de tempo. De maneira
geral isso estimula a redução da rotatividade, o aumento da produtividade e a melhoria do nível de competências da organização. Caso o colaborador não
atenda as exigências do plano ficará estagnado.

Eu sei que alguns empresários preocupam-se mesmo é em manter uma folha de pagamento baixa. É por isso que há empresas e empresas: empresas de ponta, com
alto nível de inovação tecnológica e crescimento e empresas estagnadas, dotadas de uma cultura jurássica e prestes a desaparecer. Qual você acha que os
mais talentosos querem fazer parte?

É importante ressaltar mais uma vez: profissionais qualificados não permanecem em empresas sem um plano de carreira, não em longo prazo. Eles podem até
durante certo tempo estar empregados em uma organização desse tipo. Mas por pouco tempo, até acharem coisa melhor. Pense nisso. 

sábado, 16 de outubro de 2010

sinceridade

não queria postar sobre isso aqui, até pq, queria esquecer, mas uma coisa que preso muito é a sinceridade, o falar o que pensa, não ficar guardando. a falsidade ou a falta de coragem pra dizer, não quero mais sua amizade, me magoam profundamente.
algumas pessoas simplesmente somem de sua vida, sem dar satisfação, sem dizer porque, e o pior, sem serem sinceras, homens ou mulheres pra falar o que pensam a teu respeito. o problema não é o sumisso em sim, mas a falsidade, o jeito com que vc é jogada pra escanteio, e pior: por pessoas que se dizem muuuuuito sinceras.
são sim, covardes, isso são.
precisava desabafar, e uma ultima coisa: odeio a covardia e os covardes.

horário de verão

oioi, gente. hoje entra o horário de verão, a partir da meiá-noite. então, resolvi procurar, e achei no site da uol a história desse horário tão controverso.

Veja todos os artigos sobre Economia

A história do horário de verão

O horário de verão foi cogitado pela primeira vez em 1784, por Benjamin Franklin, um dos homens mais influentes da história política e científica dos Estados
Unidos. Partindo da observação de que, durante parte do ano, nos meses de verão, o
sol
nascia antes que a maioria das pessoas se levantasse, ele concluiu que, se os relógios fossem adiantados, a luz do dia poderia ser mais bem aproveitada.

A idéia, na época, não chegou a sair do papel. Em 1907, na Inglaterra, um construtor chamado William Willett, membro da Sociedade Astronômica Real, deu
início a uma campanha que propunha alterar os relógios no verão para reduzir o que classificava de "desperdício de luz diurna". Willett morreu em 1915,
um ano antes de a Alemanha adotar sua tese e se tornar o primeiro país no mundo a implantar o horário de verão.

Já no Brasil, a história do horário de verão teve início na década de 30, pelas mãos do então presidente Getúlio Vargas: sua versão de estréia durou quase
meio ano, vigorando de 3 de outubro de 1931 até 31 de março de 1932. Depois de 18 anos sem sua instituição, o horário de verão foi novamente adotado devido
à queda do nível de água nos reservatórios das
hidrelétricas,
por volta de 1985/86. Após esse período, o horário de verão passou a ocorrer em todos os anos.

O horário de verão atrasou
Desde 1985 o horário de verão é implantado na segunda quinzena de outubro. Em 2006, porém, ele foi adiado por três semanas, por causa do segundo turno
das eleições, tendo início no dia 5 de novembro. O medo era que o horário de verão pudesse provocar problemas no sistema de funcionamento das
urnas eletrônicas.

Para ser implantado, o horário de verão deve ser decretado pelo Presidente da República, fundamentado em informações encaminhadas pelo Ministério das Minas
e Energia, que toma por base os estudos técnicos realizados pelo
Operador Nacional do Sistema Elétrico
- ONS, e indica quais as unidades da Federação serão abrangidas e o período de duração da medida.


bem, eu sou particularmente contra ele. não é que eu seja contra, pois ele economiza muito energia mesmo, apesar dos números parecerem ser insignificantes. o problema é q meu organismo ñ se acostuma nunca com ele, pois sou uma pessoa q adoooooooooora noite. hehehehe
mas pra quem gosta de aproveitar esse horário para um bom passeio, divirta-se!<

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

terça-feira, 12 de outubro de 2010

uma conversa

ontem foi um dia de aparar as arestas com alguém. uma boa conversa sempre ajuda a colocar as coisas no seu devido lugar. a conversa não terminou como eu gostaria, e na verdade, depois dela, ficou tudo tão estranho... mas foi importante pra eu tentar me libertar.
ñ sei se vou conseguir, pq de certas coisas, nenhuma conversa ajuda a libertar-se. mas me coloca com os pés mais no chão, sem ficar sonhando com algo que não vai acontecer, nem planejando coisas. Penso que nunca mais vou me libertar disso, mas... preciso tentar!
foi essa a conclusão da conversa mais esquisita que já tive em toda minha vida!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

uma musiquinha

oioi, gente. hoje passei aqui pra deixar a tradução de uma musica que eu adoro. é a musica help, dos beatles. leiam e divirtam-se!

me, oh

Socorro!

Socorro! Eu preciso de alguém!

Socorro! Não qualquer pessoa

Socorro! Você sabe que eu preciso de alguém socorro!

Quando eu era jovem, muito mais jovem que hoje

Eu nunca precisei da ajuda de ninguém em nenhum sentido

E agora estes dias se foram, eu não sou uma pessoa assim tão segura

Agora eu acho. Eu mudei minha mente e abri as portas

Ajude-me, se você puder, eu me sinto pra baixo

E eu aprecio você estar por perto

Ajude-me, coloque meus pés de volta no chão.

Você não vai, por favor, ajudar-me?

E agora minha vida mudou em muitos sentidos

Minha independência parece dissipar-se na neblina

Mas de vez em quando me sinto tão inseguro

Eu sei que preciso de você como nunca precisei antes

Ajude-me, se você puder, eu me sinto pra baixo

E eu aprecio você estar por perto

Ajude-me, coloque meus pés de volta no chão.

Você não vai, por favor, ajudar-me?

Quando eu era jovem, muito mais jovem que hoje

Eu nunca precisei da ajuda de ninguém em nenhum sentido

E agora estes dias se foram, eu não sou uma pessoa assim tão segura

Agora eu acho. Eu mudei minha mente e abri as portas

Ajude-me, se você puder, eu me sinto pra baixo

E eu aprecio você estar por perto

Ajude-me, coloque meus pés de volta no chão.

Você não vai, por favor, ajudar-me?

domingo, 10 de outubro de 2010

O momento mais lindo d minha vida

Dia 08/10 aconteceu o momento mais lindo, mais inesquecivel, mais maravilhoso de minha vida: fui baixarelada em administração de empresas; e porque esse foi o dia mais lindo de minha vida?
Ver depois d alguns meses aquelas pessoas com quem vc passou a maior parte de seus ultimos 4 anos e meio , saber que nunca mais vai ve-las de novo, principalmente pq moro em cidade diferente dos meus colegas. Mas principalmente, lembrar de todas as dificuldades que você passou até se formar, é a coisa mais emocionante do mundo. Todas as vezes q encomodei minha mãe pra ajudar a formatar trabalhos, as dores nas costas provocadas pelas viagens, as crises de pânico desencadeadas na facul e enfrentadas, sem falsa modéstia, com garra por mim, as noites congelantes, as várias vezes que pensei em desistir, tudo passa na cabeça naquela hora.
E devo tudo isso a minha familia, que sempre me deu forças pra seguir em frente, pra nunca desistir, apesar de administração não ser meu dom; se não fosse eles, seria uma ceguinha burrinha, sem o minimo de estudo e de cultura. e quando vc ve pessoas que vc mal conhece, nem tem muita convivencia, torsendo por vc, ajudando na arrumação da festinha, q foi simples, mas linda, se deslocando d tão longe pra te abraçar, você percebe que tanto esforço valeu muuuuuuuuuuito à pena, e cria forças pra nunca desistir e querer que aquelas pessoas sintam sempre orgulho de ti.
Obrigada, meu anjo de luz, por mais essa vitória e esse momento lindo, e guia-me para que eu siga sempre os caminhos certos, os caminhos da luz!

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O mal do século

Adoro ouvir os jornais na tv, principalmente o Jornal Hoje, talvez o unico jornal que presto a atenção de verdade. Então, me deparei com uma reportagem que me chamou a atenção negativamente, e que frequentemente vem ganhando os noticiários de jornais, revistas, rádios e todo e qualquer tipo de midia: o stress entre os professores e toda a pessoa que trabalha com o público.
Lidar com o público vem stressando cada vez mais as pessoas, visto que essas, andam cada vez mais intolerantes umas com as outras. Hoje em dia, um simples bom dia mal interpretado, se bobiar, pode parar na delegacia. Isso tudo em busca de mais trabalho, para ganhar mais dinheiro para sustentar a familia, o que faz com que se perca a qualidade de vida.
Outra consequencia do stress são as doenças fisicas que vem acarretando a todos. Muitas mortes por enfarte, derrames e outras doenças são causadas pela falta de qualidade de vida advinda do excesso de trabalho. Sem contar os casos de deméncia!
E uma coisa que aprendi na faculdade de administração é que a valorização do funcionário é determinante para criar um clima de harmonia dentro das empresas e principalmente, lhes devolver o gosto pelo trabalho. Sabemos muito bem que os professores hoje em dia, não são valorizados, nem pelo governo, e menos ainda pela sociedade. Se antes eles eram vistos como exemplos a serem seguidos, hoje são vistos como meros instrumentos que tem por obrigação ensinar e aguentar falta de educação de alunos e muitas vezes até, dos próprios pais de alunos.
Portanto, depois de assistirem a essa reportagem, pensem no que estamos fazendo com os professores, e principalmente, pensem no rumo caótico que estamos dando à nossas vidas. Aí vai o link:
http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1347781-7823-PROFESSORES+SE+DESCONTROLAM+DENTRO+DE+SALA+DE+AULA,00.html

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O que é o amor?

Hoje estava pensando, nem lembro porque, mas resolvi escrever, diante de experiencias vividas, pouquissimas, é verdade, e adquiridas com outros, sobre o que é o amor. vamos a minha teoria.
O amor é algo que t faz sentir idiota, sorrindo pra o nada feito uma babaca dopada e suspirar sem o menor motivo. Quando correspondido, blz, maravilha; e quando não é? quando não é, a gente fica irritada com as pessoas, brigando c deus e o mundo, além d ficar emotiva ao extremo.
Só de sentir isso, o amor, você piza nas nuvens, tem coragem de fazer coisas que nunca nem pensou na vida, viramos super-heróis. Por causa dele, deixamos a familia e os amigos de lado, nos deixamos de lado.
E muitas vezes, pra nada, porque a pessoa ou nem liga pra você ou não te amava tanto quanto você a ela.
Enfim, o amor, na minha opinião, é o sentimento mais nocivo e dopante do mundo. falo aqui do amor entre homem e mulher, e essa é só minha opinião. não estou fazendo apologia ao desamor, só uma opinião de alguém que só se ferrou pelo maldito e venenoso amor.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

não deu

domingo fui fazer o concurso para oficial escrevente, do tribunal de justiça do rs. a passagem por são borja foi meio conturbada, já que não tive uma boa noite de sono. A viagem para Santo Angelo, cansativa pra caramba!
Ja a prova, essa na minha opinião, tava muito dificil, principalmente a parte de legislação especifica. Ontem vi o gabarito: não passei.
Confesso que fiquei meio triste, pois não sei porque, estava depositando minhas esperanças nesse concurso. Mas, ainda tenho muita vida pela frente, muitos concursos, muitas tentativas de arranjar emprego por outros meios.
E se não conseguir esse ano arranjar emprego, vou fazer faculdade de relações publicas, e deixar o emprego pra depois outra vez, já que não poderei conciliar os dois por causa do horário que o transporte sai daqui p ir pra cidade vizinha.
Vamos ver pra que rumo a vida vai me levar!

sábado, 25 de setembro de 2010

anciedade à flor da pele

Hoje me sinto megaanciosa. e tenho motivos para isso: amanhã presto um concurso. Na verdade, estou mais anciosa não com o concurso, mas com minha formatura que está próxima.
Cheguei a sonhar que esquecia o juramento, pois eu sou juramentista da turma. sonhei que não tinha nem ensaiado.
Na verdade, é tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, que nem sei processar.
Dai bate toda a anciedade, o nervosismo, que acaba comigo, tanto fisicamente como mentalmente.
Queria ser uma pessoa normal, processar tudo que nem todo mundo, sem no final de tudo acabar esgotada, com crises de pânico e dores de cabeça e coluna infernais. Mas por mais que eu tente disfarsar, não pensar, não falar... não consigo.
E lá vou eu fugir de tudo, com um calmante que me deixa sonolenta e aérea, mas que nos meus piores dias, nem adianta mais.
Vamos tentar processar tudo isso e não pirar. nunca vi alguém pirar por coisas legais que acontecem na sua vida, só eu mesmo.
Se isso fizer parte da minha missão e expiação, que eu tenha forças p suportar e no fim de tudo, ser feliz.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

caso neymar

Hoje um menino de 18 anos está no centro das atenções, e não é pelo seu bom futebol: neymar é destaque por seu mal comportamento. Um menino que está apenas deslumbrado pelo dinheiro, pela fama e pelo poder, que tão cedo chegou para ele. Mas, o que dizer desses meninos prodigios?
Apesar de serem pessoas poderosas, ricas e famosas, são só meninos frágeis, qque precisam de ajuda para aprender a lidar com esse mundo novo que se abre à sua frente. Afinal, eles ficaram cedo longe da companhia dos pais, sua base sobre o que é moral, e as outras pessoas que deveriam ensina-lo a ter os pés no chão, lhes dão ainda mais motivos para se sentirem poderosos e acima do bem e do mal, como a diretoria do Santos futebol clube fez agora.
Portanto, a principal ajuda a ser dada à esses meninos é lhes mostrar o que é disciplina e humildade, além de mostrá-los que dinheiro e fama, se não forem bem administrados, acabam logo.
Temos exemplos vivos, como o menininho do filme esqueceram de mim e até mesmo os atletas Bruno e Adriano. Só nos resta orar para que neymar não se torne um pobre menino rico.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

uma teoria sobre namoros virtuais.

Oioi, gente. Estava eu conversando c um amigona internet, percebendo que ele arruma namoradas virtuais constantemente, e pior: sempre se dá mal. Então pensei: pq as pessoas preferem namoros virtuais, ou que começam na internet, aos namoros que começam ao vivo? Dai criei uma pequena teoria. Vamos a ela.
Acredito que nas baladas, nos bares da vida, as pessoas se deixam levar pela aparencia fisica, nem querem saber se a pessoa tem um bom papo, se é legal, se combina um com o outro. Já na net, o que aparece primeiro é a conversa, a personalidade, o papo.. Quando se ve a foto, os dois já estão envolvidos o suficiente para não darem importancia a aparencia fisica.
Mas a desvantagem da internet é: como você vai saber se aquela conversa é verdadeira? Se o nome da pessoa é aquele mesmo? Se não é um golpista, um malandro ou até mesmo, um maluco? Portanto, apesar de o namoro virtual ser muito mais baseado na verdade, posso até dizer, no amor verdadeiro, deve-se tomar cuidado, conhecer bem antes de dizer que se está apaixonado por alguém. Ninguém consegue manter uma máscara o tempo todo, então dê tempo ao tempo e a verdadeira pessoa aparece. Então você decide se é isso mesmo que você quer ou foi uma atração baseada na mentira.
Essa foi minha humilde opinião. Não sei se estou certa ou errada, só posso dizer que namoro que começa na internet não serve pra mim. Principalmente por um motivo: a distância. Mas quem acredita nesse tipo de amor, tome esses cuidados e seja feliz!

sábado, 18 de setembro de 2010

feliz!

Hoje a felicidade tomou conta de mim. Acho até que posso transmitir felicidade a todos que eu encontro. Decidi ser feliz, independente de como os outros me vêem, de como está o dia, das adversidades...
Eu ñ lembro se já disse, mas, sofro de depressão e fobia social. Isso dificulta muito minha vida, principalmente socialmente falando, pois me preocupo, mesmo que inconscientemente, com opiniões alheias. Estou tomando remédios a alguns anos, mas estou diminuindo gradualmente.
Estou falando isso, porque me pus como meta tentar driblar a vergonha, a timidez, o medo, e ser espontanea, ser eu mesmo, aquela que só minha familia e o pessoal do msn, que é o unico lugar onde não tenho medo de me expor, conhecem.
Vai ser dificil, mas vou tentar ser espontanea, feliz assim, todos os dias. e quando não conseguir, encho a paciencia de vcs com minhas lamurias.
Luz a todos!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Um pouco de história

Oi pessoal. Vou postar aqui um pouco da história da semana farroupilha, porém, com minhas palavras, já que ñ achei um site mais resumido.
Na década de 1820, os gauchos eram os maiores exportadores de charque do brasil. Mas com o passar do tempo, o governo começou a aumentar os impostos sobre o charque e o sal e comprar mais charque do uruguai. Isso trazia grandes prejuizos aos gauchos. Na década de 1830 os estancieiros tentaram negociar com o império, não tendo sucesso. Então, em 1835, iniciou-se a revolução farroupilha, com o intuito de pressionar o império a dar maiores insentivos aos produtos gauchos.Logo após, já que o império não atendeu às solicitações dos estancieiros, a revolução ganhou um ideal separatista,fundando-se a republica rio-grandense em 1835. Varias revoluções se inspiraram na farroupilha, como a sabinada, mas nenhuma durou tanto como a guerra dos farrapos.
A revolução começou em 20 de setembro de 1835 e terminou no dia 01 de março de 1845, quando foi assinado o tratado de poncho verde, em que o império se comprometia a baixar os impostos sobre o charque e aumentar as tarifas alfandegárias aos uruguaios, entre outros acordos.
O povo gaucho dá muito valor a essa revolução, pois ela mostra a força política do RS, e mostra que com luta e persistência, conseguimos garantir nossos direitos.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

ITAQUI ÁUDIO VISUAL CHAMA CRIOULA MPEG1.mpg

oiii, pessoal. hoje começa a semana farroupilha no Rio Grande do Sul. Esse video mostra a chegada da chama crioula na cidade-sede desse ano: Itaqui, minha cidade.
A chama crioula é como se fosse o fogo simbólico da pátria brasileira.]
A semana farroupilha comemora a época da revolução farroupilha, que começou dia 20 de setembro de 1825, e terminou em março de 1845. Amanhã posto mais sobre a história da revolução. Nas comemorações, comem-se pratos tipicos da região, acontecem apresentações de grupos de dança gaucha e ocorrem bailes gauchescos.

Aí vai o link pra quem não conseguir ver o video aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=RSCW_cx_p4I
Espero que gostem!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

agora, postagem do video correta

agora sim, vou postar o link correto. eu ñ sabia que compartilhando direto, os videos ñ funcionavam
mas agora sim, voc~ES poderão ver que a unica diferença entre os cegos e os videntes é que vemos o mundo com as mãos. bjs e se divirtam!

http://www.youtube.com/watch?v=_vYJsGBXlqU

Adaptações Museu do Futebol

esse video é muito legal, principalmente para os videntes entenderem como nós, cegos, vemos o mundo. assistam e comentem o q acharam.

domingo, 12 de setembro de 2010

seja irresistivel!

Li esse artigo e lembrei de muitas pessoas que são irresistiveis sem precisar fazer nada para isso, como minha irmã, por exemplo, ou minha mãe. Também lembrei de pessoas como eu, que precisam aprender a ser assim, ou pelo menos, aprender a ser mais... mais iluminadas. Por isso, leiamos e aprendamos com essas pessoas a sermos menos sem sal. hehehehe.
Esse artigo foi retirado do site rh.com.br. Boa leitura!

Seja irresistível

Scher Soares

Alguma vez você já parou para pensar nas pessoas que você considera irresistíveis? Será que existe algum estranho poder magnético nestas pessoas, que o
simples fato das suas presenças parece atrair a atenção e o interesse de todos? Sim, existe sim uma espécie de poder magnético nestas pessoas. Particularmente,
eu chamo esse poder de "presença de palco"; uma espécie de luz que parece manifestar-se em torno da pessoa que detém essa característica de irresistibilidade.

Quando uma pessoa tem presença de palco, a simples expressão do seu rosto parece dizer "Cheguei" ou "Estou aqui". Tal característica parece atrair a atenção
e o interesse de todos, e assim em uma pequena fração de tempo todos estão já seduzidos pela sua presença.

Diante dessa enumeração de fatos, parece-me interessante sugerir que nós possamos aprender alguns aspectos dessa personalidade magnética, nos tornando assim
cada vez mais irresistíveis.

Vejamos alguns elementos desse contexto:

Auto-Estima - Pense bem, você conhece alguma personalidade magnética que não seja altamente consciente das suas possibilidades e seja também dotada de uma
auto-estima considerável? Pessoas irresistíveis têm uma auto-estima elevada e gostam de si próprias. Vivem de bem consigo mesmas - sem, contudo, considerarem-se
melhor do que as outras.

Auto-Confiança - Uma pessoa com auto-estima elevada normalmente acredita muito em si própria - manifesta uma tranquilidade e segurança a respeito dos seus
próprios passos.

Entusiasmo - Pense bem, você já viu alguém irresistível andar por aí exclamando: "Oh! Vida, Oh! Azar"? Não, definitivamente alguém com personalidade magnética
nunca se comporta desta maneira. O entusiasmo é uma característica marcante das pessoas irresistíveis - nós nos aproximamos dessas pessoas porque queremos
ser contagiados pelo seu brilho, energia e entusiasmo e não ao contrário.

Gostar de Gente - Essa é uma fórmula simples, porém muito difícil para muita gente. Pessoas irresistíveis gostam de gente, elas se interessam genuinamente
pelos outros e não apenas pelo que as pessoas podem proporcionar a elas. Pense nisto: Como anda seu nível de interesse pelos outros? Você tem se interessado
por aqueles que estão ao seu lado ou apenas por você mesmo?

Bons Ouvintes - Outra fórmula simples, porém difícil para muitos. Lembre das conversas que você teve com as pessoas que considera magnéticas - o que você
acha? Essas pessoas foram bons ouvintes? Ouvir as pessoas atenciosamente é preencher sua necessidade de ser reconhecido, de merecer atenção. Nós gostamos
de pessoas que nos ouvem e não suportamos quem não nos ouvem e até nos interrompem - reflita... Como você se sente quando alguém esquece o seu nome logo
após ser apresentado? Quer aumentar seu magnetismo? Ouça as pessoas com atenção, chame-as pelo nome, recorde de assuntos ou detalhes ditos em uma conversa
tempos depois.

Gestos e Palavras Mágicas - Pessoas irresistíveis usam palavras mágicas - elas falam: "Por favor", "Com licença", e "Bom dia". Seu tom de voz é vibrante,
independente de ser alto ou baixo. Elas elogiam e parabenizam. Retornam sua ligação ou seu e-mail, mesmo que para dizer que estão muito ocupados e que
depois "conversam". Pessoas irresistíveis dizem "Muito obrigado".

Pessoas magnéticas atraem coisas positivas, atraem mais pessoas irresistíveis. Pessoas irresistíveis formam uma excelente networking, têm amizades mais
profundas e colegas de trabalho mais interessantes. Você deve estar exclamando - nossa, mas que sortudas essas pessoas hein! Caro amigo, não chamo isso
de sorte, chamo de resposta - uma resposta da vida ao que você faz com na sua vida.

Seja irresistível! 

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

você já se questionou como os outros o vêem?

Você já se questionou sobre a forma como os outros o veem?

Sonia Jordão

Sabemos que, em muitas ocasiões, importa mais o que você parece aos olhos dos outros do que como você é realmente. Por isso, é importante tomar cuidado
com seu comportamento, já que é muito difícil ter uma outra chance para causar uma boa primeira impressão.

Na vida profissional precisamos, muitas vezes, nos comportar como se estivéssemos sentados à mesa, em um ambiente refinado com nossos principais clientes.
A forma adequada de comportamento depende do ambiente e da cultura de cada região. Por exemplo, palavras que em uma região são usadas normalmente no dia
a dia, em outra localidade podem não ser bem aceitas.

A forma de se vestir também muda de um lugar para outro. Por exemplo, nas cidades litorâneas, à beira das praias é permitido trabalhar de forma mais informal,
enquanto que em lugares frios, geralmente, as pessoas vestem-se de maneira mais formal. Em muitos lugares fala-se alto, gesticulando-se, enquanto em outras
regiões as pessoas falam baixo e de forma tranquila.

A forma como as pessoas foram criadas, suas crenças e seus valores também influem nos comportamentos e nos relacionamentos. E muito mais importante do que
o "como se diz" ou "o que se diz" é como os outros o ouvem e o interpretam. E, sem querer, muitas vezes, mesmo com as melhores das intenções pode-se magoar
alguém.

Outro detalhe a ser observado é que, no mundo atual, muitas pessoas vivem sob a "Lei de Gérson", onde levar vantagem em tudo é fundamental. Isso em parte
deve-se ao fato da população crescer rapidamente, levando ao aumento da competitividade e à mudança na hierarquia das organizações, com um achatamento
dos postos de chefia. Nesse modelo fica difícil aceitar que alguém possa ser simplesmente bondoso e que não queira nos usar para aparecer. A preocupação
em manter o emprego, às vezes, nos leva a enxergar "chifre em cabeça de cavalo" e isso pode atrapalhar no relacionamento com os colegas de trabalho.

Além de se preocupar consigo mesmo, o bom profissional também deve tentar compreender o comportamento dos colegas de trabalho Assim, a pessoa adapta-se
às diversas situações e aprende a lidar com elas. À medida que o profissional estuda o assunto e o pratica, perceberá que ainda terá muito a aprender.

É sabido que cada pessoa tem uma visão diferente da outra. Cada um ouve e enxerga à sua maneira, em função de sua formação e de suas experiências de vida.
Por isso, precisamos estar sempre atentos à nossa imagem perante os outros. Iss não significa que se deve viver preocupado com os outros, mas se comportar
adequadamente, de acordo com a sociedade onde estiver inserido. Até porque não sabemos se a pessoa que está nos vendo será nosso futuro chefe ou até empregador.

Há algumas filosofias que acredito que deveriam ser seguidas por todos. Uma delas é a frase de Stanley, que diz: "É necessário que o mundo depois de ti
seja algo melhor, porque tu viveste nele". Sendo melhores, os profissionais levarão as organizações a serem melhores também. Acredito que assim teremos
um mundo melhor, já que as organizações, principalmente as empresas, podem ser entidades ou instituições capazes de mudar o mundo.

Outra filosofia que devemos adotar vem do Dalai Lama, e diz: "Reparta o seu conhecimento. É uma forma de alcançar a imortalidade". Há alguns modos de fazer
isso, entre eles: escrever e divulgar artigos, ministrar palestras e treinamentos, escrever e editar livros. É importante ainda procurar desenvolver-se
de modo a atender a essas duas filosofias de vida.

Nem sempre o seu desempenho será suficiente para mantê-lo no emprego. Um comportamento inadequado pode até levá-lo à demissão. E como uma pessoa educada,
com boas maneiras, sempre terá um lugar de destaque na sociedade, procure cuidar disso com carinho. 

Eu sei que educação vem de berço e é obrigação, mas vale sempre lembrar. essa matéria foi retirada do site rh.com.br, do dia 30/08.
Palavras-chave: |
equipe
|
conflito
|

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

confusão

por que meus sentimentos são tão confusos? Por que as vezes parece que me livrei d alguns deles, e de repente, como q do nada, eles reaparecem? Por que é tão dificil saber quando se está amando de verdade ou quando é uma "pegadinha" do coração, causada pela carência? por que, por quê...
Queria ter as respostas pra todas essas perguntas, só nessas horas, queria poder falar com o além pra ele me responder a tudo q está aqui, queimando em minha mente quase insana. Mas, como não tenho esse poder, nem dinheiro pra gastar com videntes e cartomantes... permanecerei com essa dúvida, até encontrar a pessoa que irá fazer com que eu as esqueça de uma vez. Ou até me ocupar com algo que não me deixe pensar. Às vezes seria bom não pensar, pra não enlouquecer...

sábado, 28 de agosto de 2010

livre e feliz

hoje parece q me livrei: me livrei d um sentimento que estava me fazendo mal, de um sentimento que me fazia pensar em fazer coisas q eu nunca pensei. Por causa desse sentimento pensei em deixar minha familia para morar em algum lugar, marau, com meus tios, mas longe de minha mãe.
Por causa desse sentimento pensei em enfrentar a tudo e a todos, pensei em crescer cada vez mais e unicamente por um motivo: chegar até a cidade onde se encontrava o dono do sentimento. E analizando hoje eu penso, como fui burra, idiota, cega sentimentalmente falando. ia fazer isso por alguém que nunca gostou de mim, que nunca quis nada comigo, alguém que não merecia tanto sentimento...
O bom disso tudo é que isso acabou, e que apesar de me fazer mal, ele me impulcionava a crescer, e é com essa parte que vou ficar. me livrei desse sentimento e estou muito mais feliz do que quando estava possuida por ele. e faço um juramento aqui: prometo nunca mais nutrir sentimentos assim por ninguém que eu não tenha certeza que corresponda a esse mesmo sentimento.
Um conselho: nunca deixem suas familias, nunca deixem d gostar antes de si mesmo, nunca coloquem ninguém na frente do seu amor próprio. eu quase fiz isso e hoje me arrependeria amargamente por isso. Como é bom tirar a venda dos olhos da alma...

terça-feira, 17 de agosto de 2010

horário eleitorau, vamos tomar cuidado!

Pessoal, tive que passar aqui para falar de um assunto muito sério para nosso país, o horário da política na TV e no rádio. Devemos tomar cuidado ao ouvi--lo, e principalmente, devemos ouvi-lo com atensão!
Não nos baseemos apenas nas pesquisas do IBOP, vvotando apenas em quem tá na frente, só pra não fazer feio. Nem fiquemos apenas com as propostas que vemos na TV e ouvimos no rádio, afinal, tem partidos que não têm tempo de apresenta-las.
Vamos entrar nos sites dos politicos, ver o que eles estão propondo, e se as propostas baterem com nossos pensamentos, votemos no candidato, sem se importar se é de partido grande ou daquele mais desconhecido. Se os partidos não tem mais ideais, tenhamos nós então, e mostremos ao Brasil que não somos manipulaveis!
Pensem nisso e nunca deixem de fazer sua parte!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

retirada estratégica

Pessoal, estou passando para deixar uma despedida temporária. Me inscrevi para o concurso do TJ do RS, para escrevente.
Fiz a um tempo atrás um concurso para escriturária da caixa, e mesmo não m,e empenhando muito, e tendo matemática, q eu deteeeesto, fui bem, quase passei. Devido a isso e a ese concurso ñ ter matemnática, vou me empenhar ao máximo. Vou estudar bstante, mesmo sabendo que tem muita gente que faz concursos a anos e não consegue passar.
Não tenho a esperança de passar logo de cara, mas vou fazer minha parte para depois não ficar com o remorso do outro concurso.
Então, vou ficar alguns dias sem postar por aqui. Me desejem sorte e principalmente, rezem por mim!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

amores platonicos, por que eu os atraio?

Estava a pensar hoje em alguém, alguém que nunca será meu, alguém com quem eu tenho mil fantasias que vai aparecer, me pedir em namoro, dai eu largo tudo, enfrento a todos, por ele. Mas, como eu disse, ele nunca será meu. E analizando minha vida amorosa, percebi que meus amores sempre foram platônicos. E por que será isso?
Só tenho duas alternativas: carencia afetiva, o fato de nunca ter tido um namorado, de nunca er estado com ninguém. A outa e talvez mais provavel é baixa autoestima. Talvez por inconscientemente achar q ninguém irá gostar de mim.]
Mas as vezes o q eu sinto parece ser tão verdadeiro, tão... profundo até. Vamos deixar o tempo resolver, apesar de nunca perder a esperança de meu grande sonho no momento se realizar: meu principe aparecer, pedir em namoro e enfrentar tudo por mim. O tempo é o senhor de todos os destinos; deixo tudo nas mãos dele e seja o que Deus quiser!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

uma ótima matéria do jornal O Globo

Pessoal, um prof da minha irmã mandou esse material pra ela fazer pesquisa para a monografia. Achei interessante e resolvi postar.

01/08|

02h00m
ELEIÇÕES & SOCIEDADE CIVIL (12)
Dívida para com pessoas com deficiência

  “O debate eleitoral até parece ingênuo, diante de uma realidade tão diversificada e desafiante como a brasileira. Os candidatos absorvem termos e discursos
contemporâneos generosos - como sustentabilidade, acessibilidade, participação –, mas os esvaziam, tiram sua força de compreensão e mobilização. Quem fala
não parece acreditar no que fala ou que poderá fazer o que fala”.

Claudia Werneck, 53, jornalista graduada na UFRJ e especializada em Comunicação e Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz, criou há 8 anos a ong Escola de Gente,
uma referência latino-americana em questões que relacionam comunicação e pessoas com deficiência (
www.escoladegente.org.br).
Ela é a convidada deste domingo para esta série - Eleições & Sociedade Civil – de breves conversas com lideranças sociais sobre o que esperam do processo
eleitoral.

“Há um mar de grandes desafios na área em que trabalho e muito pouca probabilidade de que o tema apareça na agenda eleitoral com uma perspectiva verdadeiramente
inclusiva”, diz Claudia.

Ela completa: “É verdade que há avanços significativos nas políticas dos últimos anos no que se refere, por exemplo, à rede pública de ensino – além de
políticas, legislação específica, hoje há também recursos e compromisso do Ministério da Educação e da Secretaria de Direitos Humanos para que estudantes
com deficiência estejam nas salas de aulas das escolas comuns com todos os recursos humanos e tecnológicos necessários. Por outro lado, a dificuldade de
acesso da pessoa com deficiência não se limita apenas ao campo da educação ou aos espaços urbanos e rurais. Há uma grande exclusão no campo da comunicação
e da cultura”.

- E por que existe tão pouca chance de ver o tema debatido se há cerca e 24 milhões de pessoas e cerca de 14,7% dos jovens com alguma deficiência?

- “Primeiro, vale observar que estes números devem ser sempre contextualizados numa ampla discussão sobre o que significa deficiência e sua relatividade
de acordo com o impacto de distintos aspectos (visão, locomoção, habilidades intelectuais e manuais...) em diferentes atividades profissionais, por exemplo”
– alerta Claudia Werneck, empreendedora social das redes internacionais Ashoka e Avina e autora de 12 livros sobre inclusão traduzidos em vários idiomas.

“De toda forma” – vai Claudia ao ponto – “no que se refere ao tema específico da acessibilidade aos meios de comunicação não serão estes mesmos meios os
que puxarão esta pauta e nem os candidatos se sentem à vontade com ela, porque ao longo dos anos construímos no Brasil uma boa legislação, bastante avançada,
mas esbarramos em muita dificuldade quanto ao cumprimento dessas mesmas leis. Livros, teatros, cinemas, programas de televisão, websites... Os mundos da
comunicação e da cultura tem grande dívida para com quem não ouve ou não vê, e há soluções técnicas já conhecidas em todas as áreas previstas por lei.”

- Bom, o setor das comunicações joga mesmo duro, digamos; parece não aceitar com facilidade nada que seja impulsionado por marco regulatório...

- “Note-se que não estamos falando em privilégios, mas em uma grande população de homens, mulheres, jovens e crianças que querem e devem ser tratados como
sujeitos de direitos. Estamos falando de democracia participativa, de liberdade de expressão e de acesso à cultura, nada mais que isso” – diz Claudia.

Pergunto a Claudia Werneck se há correspondência entre pobreza e deficiência e como esta questão se coloca no debate político.

- “Esta é uma questão que muito dificilmente se consegue trabalhar – o combate à pobreza também com recorte de deficiência. Claro que há correspondência
e claro que há necessidade de políticas simultâneas! Nos países em desenvolvimento, mais de 80% das crianças e adolescentes que tem deficiência vivem na
pobreza, segundo a ONU.

O que seria – provoco – uma cota mínima de posicionamento a se esperar dos candidatos sobre a questão das deficiências?

Para Claudia, os candidatos tem o dever de informar o quanto estão dispostos a investir no avanço da implementação de escolas públicas inclusivas, “considerando
a formação de recursos humanos, a aquisição e treinamento em tecnologia e a adaptação dos espaços físicos. No caso dos candidatos à Presidência, eles precisam
dizer como esperam lograr o compromisso dos municípios (escola fundamental, onde há avanços) e dos estados (ensino médio, onde o abismo entre necessidades
e ações concretas é enorme). E a gente fica torcendo para que os avanços continuem, para que as leis sejam cumpridas e no mínimo para que não haja retrocesso”.

Peço a Claudia Werneck que priorize três ou quatro pontos, fora de sua área específica de atuação profissional, que gostaria de ver discutidos com maior
profundidade durante as campanhas dos candidatos e debates. Ela não precisa pensar duas vezes para disparar:
- “As vergonhas diárias que aparecem sob os nomes de impunidade e corrupção, além da responsabilidade social da mídia. Agora, Educação e Saúde sempre devem
ser debatidos, pois este é um país – como se tem dito muitas vezes - muito bom pra quem é rico e muito problemático para quem é pobre”.  



Pessoal, acho que nós também podemos fazer a nmossa parte, cobrando o setor de comunicações como jornais, tv, etc. Se nós não nos impusermos, nunca seremos vistos.